Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Rio Grande do Sul FIQUE ATENTO!

Após dois dias de temporais, Estado deve registrar novas tempestades na semana

Várias cidades da região já registraram estragos, como destelhamentos, queda de árvores e falta de luz

Publicado em: 17.01.2022 às 21:52 Última atualização: 18.01.2022 às 11:48

A sequência de temporais que atingiu o Rio Grande do Sul nos últimos dias ainda não terminou. Com a permanência da onda de calor sobre o Estado somada à umidade, novas tempestades podem atingir a região metropolitana no restante da semana, conforme a MetSul Meteorologia.

Leitor do Jornal NH registrou descargas elétricas em Campo Bom nesta segunda-feira (17)
Leitor do Jornal NH registrou descargas elétricas em Campo Bom nesta segunda-feira (17) Foto: Lucas Lovatto/Especial

Entre a tarde e o começo da noite de domingo (16), cidades da região foram atingidas por forte temporal, com descargas elétricas e ventania de até 70 km/h. Houve registros de destelhamento, colapso de estruturas e queda de árvores. A Defesa Civil distribui lonas nas cidades mais atingidas. A tempestade deixou ainda mais 270 mil gaúchos sem energia elétrica.

Nesta segunda-feira (17), outro temporal causou estragos no Estado. Em Taquara, no Vale do Paranhana, ruas da área central ficaram intransitáveis com a quantidade de água acumulada. Já na cidade de Guaíba, na região metropolitana, a tempestade foi mais violenta, com ventos que podem ter ultrapassado 100 km/h, de acordo com meteorologistas.

O vendaval tombou caminhões na BR-116, próximo aos bairros Santa Rita e Cohab do município da Grande Porto Alegre. De acordo com a RGE, após o novo temporal, mais de 45 mil clientes ficaram sem energia, incluindo a parcela de pessoas do dia anterior. A companhia informou que equipes trabalham para o reestabelecimento do fornecimento nos pontos afetados dentro do menor tempo possível.

Muita chuva em pouco tempo

Segundo a Metsul, novos temporais devem atingir o Rio Grande do Sul nesta semana. Serão eventos localizados de chuva com volumes excepcionalmente altos e em curto período, acompanhados de vendavais. As tempestades deverão acontecer entre a tarde e a noite, por decorrência do ar muito quente e da umidade de atmosfera.

A Metsul explica que quando ocorre calor em excesso, o risco de tempo severo aumenta consideravelmente. Além da possibilidade de temporais com muita chuva em curto período e vendavais, o risco da tempestade ser muito forte cresce também.

No entanto, meteorologistas afirmam que, apesar da chuva e dos temporais, o calor será amenizado temporariamente, voltando a esquentar algum tempo após os eventos. “Essa bolha de calor tem uma extensão enorme, pegando Argentina, Paraguai, Uruguai, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Então, essas pancadas de chuva têm um efeito momentâneo, elas ajudam a trazer um alívio, mas depois esse ar quente, abafado, vai começar a preencher de novo o espaço, então, vai abafar novamente e o alívio não vai durar muito”, explica a meteorologista Estael Sias.

Um tornado em Guaíba?

Por volta das 17 horas desta segunda-feira, uma tempestade severa atingiu Guaíba, causando danos em diversos bairros. O vento, que pode ter ultrapassado 100 km/h, conforme a Metsul, chegou a provocar o tombamento de caminhões na BR-116. Houve ainda registro de destelhamento, além de estragos em prédios e veículos. 

Força do vento tombou caminhões na tarde desta segunda-feira (17) em Guaíba
Força do vento tombou caminhões na tarde desta segunda-feira (17) em Guaíba Foto: Reprodução

Embora a tempestade tenha deixado um grande rastro de destruição, a suspeita de passagem de um tornado pela cidade foi descartada por especialistas. Os meteorologistas da Metsul explicam que, com base em análise preliminar de dados disponíveis duas horas após a passagem do temporal, não há indícios de que a causa tenha sido esse fenômeno.

O que aconteceu nesse caso é chamado de micro-explosão ou downburst, que são correntes de vento violentas e descendentes que, ao alcançarem a superfície, se espalham e causam estragos. O fenômeno pode provocar danos semelhantes a um tornado, já que pode alcançar até 150 km/h. No entanto, a Metsul afirma que ainda não há dados suficientes para estimar a velocidade dos ventos em Guaíba.

A massa de ar quente que está sobre o Estado, e que gerou recordes de máximas com marcas que há décadas não eram registradas na região, injeta uma grande quantidade de energia na atmosfera, liberada em forma de tempestades. Com o aumento do calor, cresce a probabilidade dos temporais serem mais severos. Segundo a Metsul, o risco permanece por causa da continuidade da onda de calor, especialmente na segunda metade desta semana.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.