Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região ECONOMIA

Confira os impactos da alta na taxa Selic para financiar imóveis

Especialista avalia cenário da construção civil e traz dicas para compradores

Por Juliana Nunes
Publicado em: 30.06.2022 às 03:00 Última atualização: 30.06.2022 às 15:51

A taxa Selic aumentou meio ponto percentual este mês, chegando a 13,25%, e o Comitê de Política Monetária (Copom) estima que poderá chegar a 13,75% no mês de agosto. Um dos setores diretamente influenciados pela alta da Selic é o da construção civil, um dos mais importantes no cenário econômico. Quem tem financiamento imobiliário percebe este impacto.

Confira os impactos da alta na taxa Selic para financiar imóveis
Confira os impactos da alta na taxa Selic para financiar imóveis Foto: Adobe Stock

O economista e professor da Universidade Feevale José Antônio Ribeiro de Moura lembra que este mercado está relacionado ao crédito por conta dos juros do financiamento. "A Selic é um parâmetro que interfere diretamente no mercado da construção civil. Quando a taxa está em nível mais baixo há mais financiamentos. Há tendência do mercado com mais empreendimentos construídos e até pelos programas habitacionais, o que ajuda bastante nesta questão da casa própria. Por outro lado, esta taxa Selic alta ocorre o contrário, há uma predisposição de não adquirir o imóvel", explica.

Cenário desafiador

Com alta na inflação há uma expectativa de que a Selic permaneça elevada, e assim crie um desestímulo no setor da construção civil. Além disso, conforme o economista, há ainda a guerra entre Rússia e Ucrânia e no Brasil o aumento no preço do diesel, que afeta diversos setores, além de uma eleição neste segundo semestre que deve trazer cenário de instabilidade política e econômica.

"Tivemos patamar da Selic de 2% durante a pandemia, mas com a retomada da economia, e todas estas questões que deixam o cenário com incertezas vai se criando o processo inflacionário e o Copom vai se protegendo via taxa Selic", diz o economista Moura.

E agora?

Então, é melhor comprar um imóvel ou esperar? O professor da Feevale avalia duas situações:

"Se não tenho pressa, devo esperar um momento melhor, avaliar com calma e deixar a taxa Selic cair. Mas para quem tem pressa, o melhor é pesquisar bem antes, avaliar taxas de juros dos bancos e usar o Fundo de Garantia para abater prestações. Quem tiver recursos deve utilizá-los e tentar ter reserva para caso de subir valor da prestação."

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.