Publicidade
Notícias | Região Assistência social

Prefeitura de Esteio monta abrigo em dias frios para pessoas em situação de rua

Atendimento iniciou nesta terça-feira (29) em um prédio anexo à República Juntos Esteio

Publicado em: 01.07.2021 às 16:41

Com a intensificação da queda da temperatura nesta última semana, a Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos (SMCDH) abriu um abrigo para acolher pessoas em situação de rua durante a noite. Ele funciona em um prédio anexo à República Juntos Esteio, outro serviço da Prefeitura Municipal voltado a quem vive ou busca seu sustento nas vias públicas.

O início do atendimento no albergue ocorreu na terça-feira (29). Durante a abordagem noturna de rotina, as equipes do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas) e da Associação Vivendo Atos 29 conversaram com as pessoas e as convidaram a ir até o albergue para passar a madrugada.

Na primeira noite, cinco pessoas utilizaram o local, ocupando metade da capacidade do abrigo. Primeiro, eles passaram por uma triagem, depois foram encaminhados para o banho e receberam uma janta antes de dormir. Eles também ganharam kits de roupas e agasalhos (camiseta, blusão, calça, meias, cueca e casaco), reunidas de doações entregues para a Campanha do Agasalho deste ano, e de material de higiene pessoal, com creme dental, escova de dente e sabonete. Caso a pessoa tenha animais de estimação ou utilize, por exemplo, carrinho como instrumento de trabalho, ela pode levar junto para o abrigo.

Em princípio, a ação será repetida nas noites desta quarta (30) e quinta-feira (1º), mas poderá ser estendida a outras datas caso haja necessidade em função das baixas temperaturas do inverno. Para quem quiser contribuir com a iniciativa, a Prefeitura sugere a doação de roupas de cama (lençóis, fronhas e cobertores), de agasalhos (tanto infantis como para homens adultos) e de produtos de higiene pessoal.

Assistência social

Além do abrigo, a Prefeitura de Esteio conta, desde 2018, com um serviço voltado ao acolhimento de população em situação de rua, a República Juntos Esteio. Mas, diferente do uso para passar a noite, a ideia da República é oferecer um atendimento mais a longo prazo, com a pessoa permanecendo no local por mais tempo, com a intenção de ajudá-la a superar a condição de rua.

A República visa oferecer proteção, apoio e moradia subsidiada a indivíduos entre 18 e 59 anos em estado de abandono, vulnerabilidade e risco pessoal e social, com vínculos familiares rompidos ou extremamente fragilizados e sem condições de moradia e auto sustentação. Eles são encaminhados pelo serviço de abordagem e precisam manifestar seu desejo em aderir

Esteio monta abrigo para população de rua Foto: Lucas Sudatti/PME/Divulgação
ao atendimento e respeitar regras como, por exemplo, seguir o regimento interno da casa, cumprir o plano individual de acompanhamento (elaborado a partir de estudo diagnóstico da situação de cada indivíduo), não utilizar substâncias psicoativas ou se envolver em conflitos com a lei e ser acompanhado pela rede de saúde.

O acolhimento nesta modalidade busca impulsionar a autonomia dos usuários do serviço, fazendo com que sejam responsáveis e protagonistas nas decisões da casa, como, por exemplo, o preparo da alimentação e limpeza de materiais de uso pessoal e de espaços coletivos. A ideia é que seja um local de transição, por um período estipulado de 12 meses (podendo ser prorrogado), onde eles tenham acompanhamento e consigam acesso à rede de políticas públicas e sejam preparados para o alcance da autossustentação e o restabelecimento de vínculos comunitários, familiares e sociais, de modo a desenvolver condições de se integrar social, profissional e financeiramente.

A gestão do espaço é feita pela Associação Vivendo Atos 29, com uma equipe formada por coordenador, psicólogo, pedagogo, assistente social, administrativo e seis educadores sociais. O prédio conta com três quartos masculinos, com seis camas cada, e um quarto feminino, com duas camas, com armários individuais e roupas de cama e banho em ambos os dormitórios, além de cozinha, três banheiros, área de serviço, sala de estar com tv e biblioteca, sala para a equipe técnica e coordenação e um canil, no qual serão acomodados os cães que acompanham os usuários do serviço. O custo mensal previsto no contrato para a execução do serviço é de R$ 41 mil.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.