Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Mobilidade

O futuro sem filas e sem tranqueiras passa pela nova ponte do Guaíba

Nova travessia será liberada parcialmente em abril do ano que vem e promete acabar com o gargalo que atrasa o desenvolvimento da economia gaúcha

Por Leandro Domingos
Publicada: 02.11.2019 às 15:26

Nova travessia está sendo construída sobre a água a partir de peças pré-moldadas; já são mais de 20 mil blocos de concreto Foto: Paulo Pires/fotos PAULO PIRES/ges
Aos 64 anos, tendo passado mais de 40 deles na estrada, Antônio Gonçalves Araújo anda meio cansado. Motorista profissional, passa a maior parte do tempo na boleia do caminhão da empresa para a qual presta serviços. Em suas palavras, seu Antônio diz ser um "homem tranquilo". Só perde a paciência quando precisa ficar parado no trânsito. E não tem lugar em que ele fique mais brabo do que na entrada da Ponte do Guaíba, em Porto Alegre. "Às vezes chego a pegar esta ponte levantada três vezes em um único dia", suspira. "Tem dias em que eu ainda consigo ficar bem na beirinha da ponte. Mas, na maioria das vezes, acabo ficando lá adiante", conclui, mirando a Arena do Grêmio. "Leva uns 15 minutos somente para chegar até a ponte depois que a travessia é aberta", desabafa.

 

Made withVisme

Gargalo

Um dos cartões-postais da capital dos gaúchos, com a passagem dos anos, acabou se transformando em um gargalo que freia o tráfego de quem vem do Vale do Sinos e arredores, assim como de outros pontos da região metropolitana. Interrompe, dessa forma, a logística e o desenvolvimento econômico rumo ao sul e o oeste do Estado, bem como a produção gaúcha que vem do sul e oeste para a região metropolitana e norte do Rio Grande do Sul.

Este cenário, entretanto, deve ser alterado a partir de abril do ano que vem, quando o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) promete finalmente entregar a nova ponte do Guaíba. Afinal de contas, o içamento da antiga travessia chega a ser feito de três a quatro vezes por dia, causando quase três quilômetros de congestionamento somente na entrada de Porto Alegre. "Esta obra consiste em uma nova ligação entre o norte, sul e oeste do Estado. Vai liberar o tráfego de navios ao mesmo tempo em que o trânsito segue fluindo sem bloqueio", explica o superintendente do Dnit no RS, o engenheiro Delmar Pellegrini Filho, que acompanhou a reportagem do ABC em uma visita às obras da futura ponte.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.