Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | País SAÚDE

Estudo detecta sintomas de Covid-19 em crianças três meses após contágio

Dores de cabeça, falta de ar e cansaço são os principais sintomas

Por Agência Brasil
Publicado em: 27.01.2022 às 18:06 Última atualização: 27.01.2022 às 18:09

Estudo feito no Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP) identificou sintomas prolongados da Covid-19 em 43% de crianças e adolescentes três meses após a infecção. A pesquisa, que acompanhou 53 pacientes, foi publicada na revista científica Clinics, mantida pelo hospital.

Estudo detecta sintomas de Covid-19 em crianças três meses após contágio
Estudo detecta sintomas de Covid-19 em crianças três meses após contágio Foto: Nexu Cience Communication
Os pacientes, com idades entre 8 e 18 anos, foram monitorados por mais de quatro meses. Dentro do grupo, de 53 que tiveram a infecção por Covid-19 confirmada, 23 apresentaram sintomas até três meses depois de ficarem doentes.

Os sintoma mais presentes foram dores de cabeça, reportadas por 19% do total de pacientes. Dores de cabeça fortes e recorrentes foram a queixa de 9%, mesmo percentual disse ter cansaço. A falta de ar afetou 8% e a dificuldade de concentração, 4%.

Entre as crianças e adolescentes que continuaram manifestando sintomas, 70% tiveram Covid-19 considerada leve e 30% ficaram doentes de forma considerada moderada ou grave. Exames indicaram ainda que 11% dos jovens que tiveram a doença apresentaram anemia nos exames de acompanhamento.

Os resultados foram comparados com um grupo de controle com 52 crianças e adolescentes com perfil semelhante que não foram diagnosticadas com a infecção.

Como conclusão, o grupo de pesquisadores responsável pelo trabalho avalia que a maioria das crianças e adolescentes que passam pela infecção têm total recuperação em até quatro meses. "No entanto, pacientes com sintomas persistentes podem ter dificuldades que afetam sua qualidade de vida", destaca o texto.

Devido às manifestações contínuas, os pesquisadores recomendam que crianças e adolescentes sejam monitoradas de perto por uma equipe clínica após contraírem Covid-19. O trabalho foi coordenado pelos pesquisadores Clovis Artur Silva, Maria Fernanda Pereira e pelo grupo de estudos em pós-Covid-19 pediátrica do HC da USP.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.