Publicidade
Notícias | País ALERTA

Delegados explicam como evitar o 'Golpe do PIX'

Em pouco mais de três meses, mais de 65 milhões de usuários já se cadastraram para utilizar a ferramenta

Publicado em: 22.02.2021 às 20:57

Pix é o pagamento instantâneo brasileiro Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

Cidadãos devem ficar atentos aos golpistas que se aproveitam de uma ferramenta bastante usual no cotidianO: o PIX. Delegados de Polícia do Rio Grande do Sul alertam e orientam sobre como se proteger dos golpes aplicados por Internet, principalmente com o uso do novo sistema utilizado para pagamento eletrônico.

O presidente da Associação dos Delegados de Polícia do RS - ASDEP, Pedro Carlos Rodrigues, afirmou que os golpes estão mais fáceis de serem aplicados.

Em novembro de 2020, começou a operar a ferramenta e, em pouco mais de três meses, já foram 65 milhões de usuários cadastrados.

“Em função da praticidade e rapidez, o PIX se tornou um facilitador de golpes. Antes era necessário fazer um TED ou DOC para que a vítima fosse lesada, agora o golpe é realizado com uma simples clonagem de telefone”, afirmou o delegado.

O presidente da ASDEP explicou como são feitos os golpes. “O criminoso aciona a vítima por WhatsApp se passando por um amigo ou familiar. Então, ele inventa alguma desculpa, como que está sem limite no cartão, por exemplo, e solicita a transferência por PIX para uma conta clonada. Após a transferência, o dinheiro é sacado imediatamente para que o banco não possa anular a transferência. Por isso, a agilidade do PIX facilitou os estelionatos”, explicou o presidente.

Porém, o delegado ainda alertou que o Banco Central garantiu a segurança da ferramenta e explicou que a principal forma de se proteger é atentar-se aos detalhes.

“Sempre desconfie quando alguém vem pedir dinheiro por WhatsApp. Pergunte para outros familiares ou amigos se eles sabem o motivo do pedido e uma maneira de confirmar a veracidade é telefonar para quem está pedindo. O PIX é seguro, basta estar atento”.

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.