Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Gravataí Tradição

Carreteada atrai milhares de pessoas ao distrito do Morro Agudo

Evento que teve a abertura oficial na noite de sábado (9) contou com 210 carreteiros acampados e milhares de visitantes

Última atualização: 10.11.2019 às 15:22

Paulo Barbudo tem sempre uma boa história de carreta para contar Foto: Paloma Vargas/PMG
Milhares de pessoas passaram pelo acampamento dos carreteiros, na Estrada Dionísio Cardoso de Lima, no distrito do Morro Agudo, durante a 32ª Carreteada Estadual de Gravataí, que teve a sua abertura oficial na noite de sábado (9). Ao todo, 210 carreteiros acamparam no local, que ainda contou com missa campeira, shows e bancas com produtos típicos.

O prefeito Marco Alba, em sua fala na abertura, lembrou o casal Leonora e Ramon, precursores no resgate da tradição dos carreteiros, há mais de 30 anos.

“Este é um movimento que não é apenas do passado, mas também do presente porque na área rural, a carreta de boi ainda é utilizada para locomoção e até escoamento da produção.”

Ele afirma que o evento reforça o amor a tradição e a terra:

“Fazemos questão de valorizar e respeitar a nossa história, por isso sabemos da importância de manter este tipo de atividade.”

Além dos participantes de Gravataí, o evento atraiu carreteiros de Lomba Grande, Taquara, Novo Hamburgo e São Leopoldo. A maior parte dos engajados neste movimento na cidade vem das localidades de Morro Agudo, Costa do Ipiranga, Morungava e Itacolomi.

"A carreta é precursora da nossa economia. Então manter viva essa tradição é um compromisso com a nossa história e uma oportunidade de proporcionar momentos de confraternização em família", diz a secretária de Cultura, Fernanda Fraga.

Prefeito Marco Alba participou da abertura do evento Foto: Paloma Vargas/PMG

Em nome dos carreteiros, Paulo da Silva, o Paulo Barbudo, 70 anos, agradeceu todo o empenho da Prefeitura para manter viva a tradição da carreta.

“Precisamos reconhecer todo o carinho que toda a equipe organizadora tem com os carreteiros e agradecer por termos um evento voltado ao interior e a família. Espero que todos aproveitem este acampamento com alegria", disse.

A história viva da carreteada

Conversar com Paulo Barbudo é voltar no tempo e reviver a tradição. Com 70 anos de vida, ele é um dos poucos carreteiros que participou de todas as edições da Carreteada Estadual de Gravataí.

“Participo porque precisamos que cada vez mais os jovens saibam como era antes para carregarmos aquilo que plantávamos e precisávamos vender. Pra que saibam como era o nosso trabalho no campo e como muitos de nós vivem até hoje", conta.

Com sua carreta toda decorada, Paulo Barbudo sempre está disposto a contar uma história.

“A gente carrega tudo aqui, do colchão a caixa gelada com a carne. Trago o café e o sabonete, trago tudo, até o creme pra barba, porque o carreteiro tem que ser cheiroso”, brinca.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.