Notícias | Eleições 2020 Campanhas eleitorais

Sem abraços ou apertos de mão, mas com olho no olho e aproveitamento das redes sociais

Candidatos à Prefeitura de Gravataí contam estratégias de campanha para um momento que exige distanciamento social

Por Shállon Teobaldo
Publicado em: 09.10.2020 às 11:41

Seis candidatos concorrem à prefeitura de Gravataí Foto: Divulgação
Em ano eleitoral é comum ver os candidatos circulando pelas ruas da cidade, abraçando e cumprimento a população, de forma muito próxima de seus eleitores. Entretanto, a pandemia de coronavírus também impôs limites para o período de campanha, que antecede a votação das Eleições Municipais 2020. Os partidos e coligações estão enfrentando o desafio de se readaptar para seguir propagando suas ideias, mas sem colocar em risco à saúde de ninguém.

O CG ouviu os seis prefeituráveis que disputam o cargo máximo do Executivo em Gravataí para saber como eles pretendem trabalhar suas candidaturas neste novo cenário. De forma unânime, todos garantiram que estão seguindo as normas sanitárias para eventos públicos - como uso de máscara, distanciamento e higienização com álcool gel - e que as redes sociais estão sendo aliadas para fortalecer os laços com o público.

Para este final de semana, a maioria dos concorrentes têm agendas presenciais agendadas, como caminhadas e entregas de materiais de campanha. Confira as respostas de cada candidato a respeito do tema:

Anabel Lorenzi (PDT): “A pandemia tirou tantas vidas e afetou tantas famílias que seria injusto e desumano reclamar que a campanha política foi prejudicada. Preferimos dizer que tivemos que nos adaptar. As redes sociais seguem sendo decisivas como canal de mobilização e para que os eleitores conheçam nossas propostas, mas nada substitui o olho no olho. Estamos privilegiando as caminhadas e conversas com pequenos grupos. O corpo a corpo se transformou em pequenos toques com os cotovelos, abraços em pequenos gestos e sorrisos por trás das máscaras.”

Claiton Manfro (PL): “Vamos restringir o corpo a corpo. Estamos priorizando as visitas previamente agendadas e seguindo as regras sanitárias determinadas pelas autoridades de saúde, conversando com os eleitores, olhando em seus olhos e usando máscaras. Através das redes sociais, vamos fazer conversas interativas com lives e outros instrumentos. As ações de praxe de uma campanha continuarão e vamos intensificar as redes sociais. No final de semana temos distribuição de materiais, reuniões de planejamento da campanha e presença na internet.”

Dimas Costa (PSD): “Temos uma característica muito popular e o diálogo com a população, independentemente do período eleitoral, continua acontecendo. Desde o início, a coligação ‘Toda Força Para Gravataí’ inovou e deu exemplo, sendo a primeira da história da cidade a realizar a convenção em modelo drive-in. Não há abraço ou aperto de mão, mas estamos indo aos bairros, ouvindo a comunidade e seus anseios e apresentando propostas de melhorias. As redes sociais não vão suprir o distanciamento, mas vamos fortalecer a presença em nossas plataformas.”

Jairo Carneiro (PT): “Estamos priorizando o contato virtual na campanha, via redes sociais. Há uma pandemia que põe em risco a vida de qualquer um e também a minha. Vamos participar de eventos presenciais quando isso for oportuno e muito necessário. A vida é nossa prioridade. Estamos imprimindo folheteria e nos articulando para ir à rua com os cuidados e o distanciamento social, por meio também das campanhas de nossos candidatos a vereador. Eles estão levando a mensagem majoritária junto com suas plataformas e propostas por meio do Facebook.”

Luiz Zaffalon (MDB): “A proximidade está acontecendo, porém com regras e cuidados. Estamos conversando com os eleitores, relembrando-os de tudo que nosso governo fez nos últimos oito anos e mostrando que é possível fazer mais. Não é de agora que as redes sociais têm um papel importante no processo de democracia e nas eleições, é um canal importante e direto com o eleitor. Faremos ações de rua, caminhadas e carreatas. No final de semana faremos ações pela cidade, além do cumprimento de agendas com candidatos a vereador e apoiadores.

Tamires Paveglio (PSOL): “As ações de rua precisam acontecer, mas com todos os cuidados. Não vamos nos eximir de fazer a entrega de materiais de campanha, mas seguindo as normas sanitárias. O aperto de mão é algo simbólico, mas o cuidado e respeito precisa estar em primeiro lugar neste momento. As redes sociais não suprem totalmente a falta de contato que teríamos nas ruas, mas terão um papel fundamental. Temos uma rede de apoio e os kits que entregamos são fechados, assim as pessoas podem higienizá-los ao receber e fazemos isso rapidamente, sem aglomerações.”

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.