Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Carnaval

Gravataí fez bonito no Complexo do Porto Seco em Porto Alegre

Acadêmicos de Gravataí foi a segunda escola a desfilar no carnaval de Porto Alegre
14/02/2015 17:29 14/02/2015 17:30

Foto: Matheus Aguilar/GES-Especial
Com o enredo “Eis que tudo transformei: Gravataí transforma o mundo através dos cinco sentidos”, a Acadêmicos de Gravataí foi a segunda escola a entrar na avenida na primeira noite de desfiles do grupo especial do Carnaval de Porto Alegre, na sexta-feira. Com cerca de 2 mil integrantes, divididos em 20 alas e cinco carros alegóricos, a Onça Negra levantou o público que lotou as arquibancadas do Porto Seco com um samba envolvente e as famosas paradinhas da bateria.

Sob o comando do intérprete Lu Astral, considerado o melhor dos últimos anos na capital, e a levada dos ritmistas liderados pelo mestre Júnior Aruanda, a Acadêmicos de Gravataí apresentou um bonito desfile, com carros grandiosos e fantasias bem acabadas. A comissão de frente composta por integrantes do CTG Aldeia dos Anjos e bailarinos contemporâneos apresentou coreografia de Lucia Brunelli e foi um dos pontos altos da apresentação.

Os destaques de chão, como o mestre-sala Choco e a porta-bandeira Andreisa, a porta-estandarte Zainara Allem, assim como a rainha de bateria Silvia Rosa, a madrinha Patricia Mota e a musa Paola Serpa, chamaram a atenção pelo luxo das fantasias e o carisma com o público. O passista Eder Gauchinho foi outro a levantar a plateia sempre que fazia suas evoluções na avenida.

O grande número de componentes, no entanto, por pouco não foi prejudicial para a agremiação gravataiense. Para não estourar o tempo limite de 65 minutos de desfile, boa parte das alas teve que passar apressadamente pelo sambódromo. E mesmo sob o risco de estourar o tempo, o mestre de bateria Júnior Aruanda guardou para o final o ápice da apresentação. Prestes a cruzar a linha que marca o final da passarela do samba de Porto Alegre, os ritmistas fizeram a maior de todas as paradas da noite. Todo o público presente ao Porto Seco se levantou para cantar o forte refrão da Acadêmicos e apreciar uma ousada coreografia dos ritmistas. No final, a escola encerrou a apresentação dentro do tempo e como uma das fortes candidatas ao título do Carnaval 2015.
 

Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE