Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
Viver com Saúde

Margarina está longe de ser uma opção saudável, alerta nutricionista

Gabriela Grings explica que manteiga Ghee e óleos podem substituir o produto
11/03/2019 03:00 12/03/2019 14:33

Os comerciais de margarina na TV são ditos como a idealização da família perfeita. Isso porque neles há sempre pais, filhos, netos e até pets felizes, despreocupados, unidos e, claro, muito saudáveis. A realidade sobre o efeito da margarina na saúde das pessoas, no entanto, não é exatamente essa. "Não há um consumo seguro deste produto, o ideal é evitá-lo, substituindo por opções mais nutritivas", destaca a nutricionista da Unimed Encosta da Serra, Gabriela Grings.

Então, por que as marcas de margarina anunciam o produto como benéfico para quem quer fugir do mau colesterol? Gabriela explica que o objetivo da indústria ao desenvolver a margarina foi substituir sua irmã mais velha - a manteiga - por um produto semelhante, só que mais barato e livre de colesterol; ocorre que, ao fazê-lo, criou inicialmente a margarina feita à base de gordura trans (extremamente prejudicial à saúde) e, nos dias atuais, a partir dos óleos vegetais interesterificados (que, apontam estudos, também podem ser maléficos à saúde).

"Portanto, a margarina nada mais é do que um produto criado para substituir a manteiga, mas que fosse mais barato e com maior tempo de vida de prateleira e ainda livre de colesterol", esclarece a nutricionista. Porém, são dois produtos completamente diferentes, já que a manteiga é de origem animal, produzida a partir do leite de vaca, enquanto que a margarina é produzida a partir de óleos vegetais.

Boas escolhas

Há, no entanto, escolhas que podem substituir a margarina na mesa do brasileiro. Algumas delas podem ser a manteiga Ghee (livre de lactose e outras substâncias indesejáveis), o óleo aromatizado com ervas como manjericão e alecrim, pasta de amendoins e o húmus (pasta de grão de bico). E, claro, existe a manteiga tradicional, que, embora não seja a melhor opção, ainda é superior à margarina, mesmo contendo grande quantidade de colesterol. "Ela é melhor porque sabemos que, se equilibrarmos o consumo e mantermos uma alimentação balanceada e praticarmos atividade física, conseguimos controlar os níveis de colesterol no organismo", destaca Gabriela.



  • A knife spreading butter on bread
    Foto: fotolia

  • Foto:

Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE