Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
Viver com Saúde

Café da manhã é obrigatório ou não? Veja o que diz nutricionista

Cris Zinelli tira dúvidas sobre a primeira refeição do dia
04/03/2019 03:00 07/03/2019 14:48

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Cris Zinelli, nutricionista
Para algumas pessoas é crucial acordar e ir direto recarregar as baterias numa mesa recheada de delícias. Para outros, não tomar o café da manhã é normal e um terceiro grupo diz que no máximo uma xícara de café preto é o suficiente. A nutricionista Cris Zinelli explica que cada organismo precisa ser analisado particularmente e que hábitos saudáveis valem para o dia todo.

A profissional, que foi uma das palestrantes no Body&Soul, maratona de atividades de saúde promovida pelo Praia de Belas Shopping, traz mais detalhes na entrevista.

Algumas pessoas acordam sem fome e logo pulam essa primeira refeição. O hábito é saudável?
Os estudos mais recentes sugerem que não precisamos mais comer de três em três horas, conforme a individualidade bioquímica ou metabólica, tem gente que não se adapta a comer de manhã. O que não pode acontecer é não tomar o café da manhã e exagerar no fim do dia. Quando a gente restringe muito a alimentação até o meio-dia e depois começa a comer compulsivamente no período seguinte, por exemplo, isso não é normal e aí tem que tomar o café da manhã, pois seriam então melhores equilibrados os nutrientes ao longo do dia. Mas se a pessoa consegue distribuir todos os micro e macronutrientes ao longo do dia, tudo bem. Há, por exemplo, a prática do jejum intermitente que mostra alguns benefícios, mas que precisa sempre ser prescrito por um profissional e avaliado o caso. Nem tudo é para todos.

O que acontece com nosso organismo quando a gente não toma o café da manhã?
Não acontece nada, se você comer bem o restante do dia, o organismo vai se adaptar e não terá problema em não tomar o café. A gente não pode é somar calorias ou apelar para alimentos com uma densidade energética maior, como carboidratos, açúcares e farinhas refinadas. Um bom profissional de nutrição dará todas as orientações para evitar esse tipo de problema.

Quem toma café da manhã mais tarde pode realmente pular o almoço?
Pode e é até aconselhável no fim de semana, por exemplo, que são dias em que dormimos um pouco mais por não ter trabalho. Acordar às 10 horas, tomar café e duas horas depois almoçar não é recomendável, uma porque você não vai comer bem o teu almoço e outra porque estará emparelhando um monte de calorias. Temos que primar muito pela qualidade daquilo que comemos e iniciar o almoço com uma boa salada, com fibras, uma proteína de boa qualidade, um carboidrato de baixo índice glicêmico, tudo isso é bem mais vantajoso do que ter que tomar café da manhã. Desde que não aconteça aquele acúmulo de calorias de consumo energético no fim do dia, que é bem perigoso, tudo bem, não há problema em não tomar o café da manhã e iniciar direto pelo almoço.

Que opções de alimentos devem fazer parte de todo café da manhã?
Sempre costumo dizer aos pacientes que estão acima do peso ou àqueles que buscam uma vida mais saudável que é preciso evitar certos tipos de alimentos que vão te gerar um pico de insulina. Além de ser um hormônio altamente catabólico, a insulina também aumenta um tipo de gordura que é bem perigosa, a visceral. A gente precisa sempre maneirar e combinar bem os alimentos, com uma boa fonte de gordura, por exemplo, os ovos, o abacate; as oleoginosas como um leite de amêndoas, iniciar também com proteína. Há estudos que sugerem que quando se começa o café da manhã com ovos, por exemplo, você tem menos chance de ter aquela voracidade que, principalmente as mulheres, têm no fim do dia porque a gente estabiliza melhor a nossa glicose e evita esses perigosos picos. Comer só uma banana com mel, por exemplo, não seria uma estratégia interessante para quem busca saúde e emagrecimento. Não que não possa comer banana com mel, mas é preciso combinar melhor, por exemplo banana com chia, que é uma gordura de boa qualidade e riquíssima em Ômega 3, ou aveia, que é um carboidrato de baixo índice glicêmico, ou mesmo misturar banana com cacau.

É preciso algum cuidado especial para quem normalmente toma café na rua?
Quem faz qualquer uma das refeições na rua fica um pouco vítima de saber o que foi usado como gordura para o preparo e os temperos. Temos muitos vilões como glutamato monossódico, corantes, conservantes, aditivos. Então, uma dica é: acorda um pouquinho mais cedo, organiza teu café da manhã, há muitas opções que podemos deixar pré-preparadas, fazer no jantar anterior, ou mesmo deixar pronto no fim de semana, como um bolinho saudável e aí só pegar o bolinho, um ovo cozido e uma fruta, por exemplo. Para comer na rua são poucos restaurantes que têm opções saudáveis para desjejum, almoço e jantar até que se consegue, mas para o café da manhã realmente é melhor se organizar e saber o que você tá comendo.

É mito ou verdade que devemos comer mais pela manhã ou relação às outras refeições?
Está muito relacionado à individualidade. No meu caso, eu preciso sempre tomar um bom café da manhã, mas desde que comecei a ler e a me interessar por jejum intermitente, tem alguns dias que eu acabo pulando o café da manhã e começando pelo almoço e está tudo bem, desde que isso seja feito bem fracionado. Mas para algumas pessoas isso irá gerar um impacto negativo e ela acabará comendo um pouco mais. O ideal é então considerar a individualidade: se essa pessoa dorme bem, quantas horas de sono ela tem, se faz atividade física de manhã ou não. É preciso considerar bastante a rotina da pessoa.

Para quem quer fazer substituições saudáveis, quais as melhores opções?
Tem-se discutido bastante a questão do glúten, do leite, e confesso que para alguns pacientes eu tenho permitido tanto o glúten quanto os lácteos, o que oriento são as melhores opções. Não se pode ter um cardápio em que o paciente coma só pão e leite o dia inteiro, que é o que acontece hoje em dia com muitas pessoas. Pela correria do dia a dia, acabam apelando para os alimentos industrializados e processados porque facilitam a nossa vida. É muito mais fácil fazer um sanduíche com presunto, queijo e manteiga do que pensar em fazer uma panquequinha ou um bolinho. Então, quando a gente vai usar esses produtos, eu sempre oriento a pegar um pão orgânico, de fermentação lenta, com vários grãos, para não ter aquele impacto negativo na glicemia, não vai engordar e vai vir com nutrientes. Não adianta ainda só tirar glúten e acabar consumindo farinha de arroz branco, polvilho, que são empobrecidas.

A mesma coisa ocorre com os lácteos, temos a opção de trocar o requeijão por uma manteiga sem muita mistura, eu sempre digo: olhe os rótulos dos produtos que você for comprar, quanto menos combinações de ingredientes ele tiver, principalmente daqueles que você nem sabe o que é, além de corante, conservante, estabilizante, mais saudável é o produto. Mas trocar o requeijão por uma manteiga ou azeite de oliva já é uma escolha melhor. No caso dos leites, temos alguns mais saudáveis e que têm um tempo de prateleira melhor. Precisamos sempre reconsiderar um produto que dura um ano na prateleira, como no caso do leite de caixinha, é preciso repensar se haverá algum benefício para o teu corpo. Recomendo então o leite que vai durar uma semana, três dias, o leite de saquinho é uma opção melhor, pois não é tão processado e não tem degradação de proteína e de gordura. Senão têm marcas que sugiro também aos meus pacientes.



  • Café da manhã
    Foto: Fotolia
  • Cris Zinelli, nutricionista
    Foto: Divulgação

Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE