Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
Viver com Saúde

Excesso de peso na mochila pode prejudicar o crescimento das crianças

Material levado nas costas deve ser bem distribuído e não pode ultrapassar 10% do peso total das crianças e dos adolescentes, ressalta o médico
21/01/2019 03:00 23/01/2019 13:52

Foto por: VIGENMNOYAN/FOTOLIA
Descrição da foto: Peso pode sobrecarregar as zonas de crescimento e prejudicar o desenvolvimento normal, afirma ortopedista
A volta à sala de aula neste ano ainda não começou, mas um importante alerta já deve ser dado aos pais, responsáveis e professores: o excesso de peso nas mochilas dos estudantes pode causar danos sérios à coluna e prejudicar até mesmo o crescimento. Segundo a estimativa da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), no período de aulas, aproximadamente 74% das crianças e adolescentes brasileiros sofrem de algum tipo de dor na coluna cervical (atrás do pescoço), lombar (acima do bumbum) e ombros e a maioria deles chega a andar curvado para frente para transportar a carga pesada levada na bolsa nas costas.

O ortopedista, traumatologista e cirurgião da coluna, Thiago Soares dos Santos explica como calcular a carga ideal a ser levada pelo aluno para que a coluna não sinta os efeitos da sobrecarga. "O peso recomendado para as mochilas não deve exceder 10% do peso da criança, ou seja, uma criança com 30 quilos deve carregar no máximo 3 quilos na mochila. Um ponto importante e que algumas escolas proporcionam é deixar parte do material em um armário escolar e assim evitar que as crianças sobrecarreguem a coluna", cita.

Mudanças

Se o efeito do peso excessivo nas costas já é bastante prejudicial aos adultos, nas crianças e adolescentes os males são ainda em maior número. "Além de sobrecarregar os músculos imprimindo mais esforço e consequente fadiga e dor, pode sobrecarregar as zonas de crescimento e prejudicar o desenvolvimento normal das crianças e adolescentes", ressalta o médico.

O remédio para a questão é simples, reforça Santos. "A principal medida é a mudança de hábitos. Trocar a mochila para um modelo adequado, levar a menor quantidade de material escolar possível, não exceder 10% do peso. São coisas simples que fazem a diferença."


Cuidados na escolha da mochila

Canetas coloridas, cadernos com capas divertidas e estojos com cheirinho de novos: a escolha do material escolar é sempre uma festa para os estudantes. Na lista anual quase sempre também está a escolha da nova mochila que, conforme o médico, deve ser feita levando em consideração muito mais do que a aparência do acessório.

"O ideal seria usar uma mochila que tenha rodinhas. Se formos pensar nas mochilas com alça, esta deve ser usada sempre com as duas alças apoiadas nos dois ombros, pois assim equilibra a carga. Outro fator importante é ajustar a altura da mochila nas costas, o ideal é que ela fique acima das nádegas. É só para reforçar: não exceder 10% do peso", destaca.

"O peso se encontra à frente da coluna, assim quanto maior o peso, mais força farão os músculos paravertebrais [ao lado] para nos manter equilibrados. A consequência maior é a dor", acrescenta o especialista.

Atividade física contra a má postura

Santos reforça que a atividade física é fundamental em qualquer fase da vida, mas no caso da coluna traz inúmeros benefícios aos pequenos. "As crianças tendem a desenvolverem, crescerem com o próprio crescimento ósseo. O desenvolvimento muscular, ganho de massa e força vem logo após. Assim, a manutenção da postura é influenciada diretamente pela atividade dos nossos músculos. Desta forma, se esses estiverem cansados em decorrência de uma sobrecarga isso influenciará a má postura. As medidas a serem tomadas, além das citadas, devem focar e incentivar a criança a praticar atividade física. De forma correta e orientada, esta atividade visa estabilizar toda musculatura em torno da coluna: os músculos do tronco, abdômen e posteriores. Isso serve para qualquer pessoa, agora, em relação ao peso, de fato o ideal é mantermos aquele adequado para nossa altura. A obesidade é comprovadamente prejudicial para a coluna", relata.

Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE