Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Assassinatos na região

Matador da facção Os Manos é preso no esconderijo

Carioca está indiciado por sete mortes, roubos e tráfico
15/03/2019 03:00 15/03/2019 08:02

Foto por: Divulgação/Polícia Civil
Descrição da foto: POSE: de colete balístico, touca ninja e luvas, Carioca exibe armas de grosso calibre em foto encontrada no celular dele, apreendido quando capturado na frente de uma casa em São Leopoldo.
Apontado pela Polícia como principal matador da facção Os Manos no Vale do Sinos e Serra, Samuel Alves da Rosa, o Carioca, 25 anos, foi capturado pela Brigada Militar na noite de quarta-feira (13) no esconderijo, em São Leopoldo. Está indiciado por sete homicídios em Parobé e é investigado por assassinatos em outras cidades, como Taquara, Canela e Gramado. Também é acusado de assaltos e tráfico de drogas em Estância Velha e Ivoti.

"Como vem aumentando a incidência de homicídios em São Leopoldo, intensificamos as operações na cidade. Uma patrulha especial encontrou o indivíduo na frente de casa e o prendeu com arma de uso restrito e farta munição", relata o comandante regional da Brigada, coronel Vitor Hugo Konarzewski. Segundo ele, Carioca tinha uma pistola Glock 9 milímetros na cintura, 52 munições e dois carregadores.

Flagrante

"Ele tentou fugir, mas nosso pessoal conseguiu contê-lo", frisa o coronel. A captura aconteceu por volta das 19 horas na Rua Dois, na vila Chácara dos Leões, bairro Santos Dumont. Carioca, natural de São Leopoldo, foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. Era procurado por meio de pelo menos quatro mandados de prisão.


'Ele tem fama de gostar de matar'

Foto por: Divulgação/Polícia Civil
Descrição da foto: Samuel Alves da Rosa, o Carioca, 25 anos
Responsável pela investigação de uma onda de assassinatos em Parobé entre 2017 e o ano passado, o delegado Rafael Sauthier indiciou Carioca por sete homicídios e uma tentativa. “É suspeito também de uma execução no início deste ano em Parobé. Ele tem fama de gostar de matar. É cruel. Age a sangue frio, com armas de grosso calibre, e também gosta de fazer fotos com fuzis.”

Sauthier revela que a principal pista sobre o paradeiro de Carioca era uma moto usada por ele. “Mas ele levou um tombo durante o carnaval, com a namorada adolescente na carona, que ele abandonou ferida no local, em São Leopoldo, e essa moto acabou sendo apreendida.”

Salário mensal e kit de armas

Segundo o delegado Sauthier, Carioca fazia dupla com outro matador, conhecido como Paulista, preso no ano passado. “Apuramos que os matadores recebiam uma espécie de salário mensal de aproximadamente R$ 10 mil da facção e ficavam escondidos com um kit de armamento até a hora de sair para trabalhar.” Sauthier revela que a dupla tinha uma lista de 20 pessoas para executar em razão de desavenças com a facção.

Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE