Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Mundo

Após fracasso com Trump, Kim ressalta 'vínculos históricos' com a Rússia

Líder norte-coreano teve encontro com presidente russo, Vladimir Putin
25/04/2019 12:36

Foto por: Yuri KADOBNOV / AFP
Descrição da foto: Em Vladivostok, líder norte-coreano Kim Jong Un e o presidente russo, Vladimir Putin
O líder norte-coreano Kim Jong Un se esforçou nesta quinta-feira (25) para reavivar os "vínculos históricos" entre Rússia e Coreia do Norte, em sua primeira reunião de cúpula com o presidente russo Vladimir Putin, enquanto a questão nuclear permanece estagnada com Washington.

Dois meses depois do grande fracasso do segundo encontro com o presidente americano, Donald Trump, em Hanói, o norte-coreano afirmou que teve um "momento muito bom" com o presidente russo após duas horas de reunião em Vladivostok.

"Acabamos de ter uma troca de opiniões muito substancial", afirmou Kim ao abrir uma reunião ampliada às delegações.

Putin citou uma "discussão bastante detalhada".

Apesar dos repetidos convites a Kim, a Rússia permaneceu até agora afastada da espetacular distensão observada na península da Coreia desde o início de 2018.

Foi a ex-União Soviética que colocou no poder o avô de Kim e fundador da República Popular Democrática da Coreia (RPDC), Kim Il Sung.

Vladimir Putin recebeu com um longo aperto de mãos Kim Jong Un na ilha de Russki, diante do porto de Vladivostok, no extremo oriente russo, onde o dirigente norte-coreano chegou na quarta-feira após uma viagem de 10 horas em seu trem blindado.

Após anos de aumento da tensão, em consequência dos programas nuclear e balístico de Pyongyang, Kim se reuniu em quatro ocasiões desde março de 2018 com o presidente chinês, Xi Jinping, três com o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e duas com Trump.

Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE