Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Susto

Abelhas vivas são retiradas de dentro de olho de mulher em Taiwan

Insetos de 4 milímetros são atraídos pelo suor e lágrimas
12/04/2019 11:00 12/04/2019 11:02

Foto por: Reprodução/Twitter-Now This
Descrição da foto: Taiwanesa tinha abelhas dentro de olho
Quatro abelhas vivas foram retiradas por um médico de dentro do olho de uma mulher em Taiwan. Identificada apenas como "senhora He", a mulher de 28 anos limpava uma área próxima a túmulos de parentes quando os insetos voaram no seu olho esquerdo.

Horas depois, ela foi atendida pelo oftalmologista Hong Chi Ting, no Hospital Universitário de Fooyin. À BBC News, ele disse que ficou "chocado" quando retirou os insetos de 4 milímetros. A paciente recebeu alta e se recupera.

A espécie de abelhas é conhecida como como Sweat bees (abelhas do suor), ou como Halictidaes, e são atraídas por suor e lágrimas. Inicialmente, He acreditou que o vento havia soprado sujeira no seu olho. Ela buscou atendimento médico somente depois que percebeu inchaço e dor.

"Ela não conseguia fechar completamente o olho. Eu olhei a abertura com uma lente e vi uma coisa preta que parecia ser uma perna de inseto", disse à BBC News o médico e professor do hospital, Hong. "Eu agarrei essa perna e, bem devagar, retirei ela, aí depois vi outra, e outra e outra. Elas ainda estavam intactas e todas vivas".

A sorte, segundo o oftalmologista, é que He não esfregou os olhos, já que usava lentes de contato, pois poderia ter ficado cega caso as abelhas tivessem soltado seu veneno. Os insetos foram enviados para outra organização para estudo.

Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE