Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Foram 50 tiros, três baleados e dois mortos

Tiroteio na Morada do Vale I deixou escadaria da pracinha manchada de sangue

Polícia Civil aponta que duplo homicídio cometido na madrugada desta terça-feira (25) tem relação com a morte de menino de 13 anos no domingo (24)
25/06/2019 11:40 25/06/2019 11:40


Foto por: Polícia Civil/Divulgação
Descrição da foto: Crime na "praça velha": assassinato com automáticas na Aluízio de Azevedo
Estava demorando, mas um novo conflito armado volta a manchar as ruas de Gravataí de sangue. Desta vez, os tiros foram ouvidos pelos moradores que vivem perto da escadaria da Aluízio de Azevedo, a antiga "praça velha", como dizem, na Morada do Vale I. Era quase uma da manhã desta terça-feira (25) quando alguns estouros foram escutados. Depois, surgiu o som das rajadas de balas cortando o silêncio da noite. A Brigada Militar (BM) foi avisada pelo 190, mas ao chegar ao local, o estrago já estava feito. O resultado foram dois corpos atirados na escadaria. Dezenas de cápsulas de pistola 9 milímetros foram achadas em torno dos corpos. Foi uma verdadeira chuva de balas. "Eu estava acordado quando ouvi uns estouros. Achei estranho, mas não dei bola. Aí passou um tempinho e deu para ouvir o ra-tá-tá-tá-tá-tá", relatou, por telefone, à nossa reportagem, um morador da Morada I, que preferiu não se identificar. "Foi mais de uma rajada. Acho que foram uns 50 tiros", opinou.

Segundo a Polícia Civil, não dá para dizer com certeza quantos tiros foram, mas a verdade é que foram muitos. "Temos aquele ponto como sendo de venda de drogas. Então estes dois mortos não estavam na escadaria à toa", frisa o delegado Eduardo Amaral, responsável pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Uma das vítimas era um jovem de 23 anos já indiciado justamente pelo envolvimento com o tráfico de entorpecentes. A polícia acredita que os assassinatos tenham relação com a morte do menino de 13 anos em uma "boca de fumo", no bairro Santa Cruz, ocorrido no domingo (23). "Tudo aponta que o duplo homicídio seja uma retaliação para a morte que aconteceu no domingo", confirma. "Ainda estamos apurando alguns elementos, mas não há dúvidas que há duas facções criminosas novamente em conflito."

Baleado apareceu no Hospital Padre Jeremias minutos depois dos tiros

O tiroteio foi na Morada do Vale, aproximadamente 0h50, conforme apontado pela Brigada, primeira a chegar na cena do crime. Eis que minutos depois das mortes, o quartel da corporação de Cachoeirinha foi avisado que um homem baleado deu entrada no Hospital Padre Jeremias. A Polícia Civil apura se existe relação entre o homem atingido com um tiro e o duplo homicídio na "praça velha" da Morada I. "Estamos seguindo algumas pistas, mas ainda não há nada confirmado sobre os suspeitos do crime", resume Amaral.

Brigada Militar fez buscas a um Fiat Uno prata visto saindo do local

Ainda durante a madrugada, guarnições da Brigada de Gravataí e Cachoeirinha fizeram buscas atrás do Fiat Uno prata visto por algumas testemunhas saindo da área do crime. Ninguém foi encontrado. "Já reforçamos o policiamento não só nas área da Morada do Vale I e também no bairro Santa Cruz, mas também em outros locais que acreditamos estar na mira de uma provável vingança", explica o comandante Luís Felipe Neves. "Ninguém quer mais derramamento de sangue nas ruas, então continuamos trabalhando na tentativa de evitar que novas mortes aconteçam", fecha o major.

Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE