Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Voluntariado

Tribos é lançado com aula de empatia em Cachoeirinha

Programa que chega à sua 16ª edição agitou 15 escolas da cidade na manhã desta quarta
24/04/2019 13:34 24/04/2019 13:34

Foto por: Eduardo Torres/GES
Descrição da foto: Gincana foi lançada com brincadeiras de criança no Luiz de Camões
Empatia. Substantivo fora de moda no mundo da fama e do anonimato instantâneos das relações sociais nas redes virtuais. Pois nesta quarta, estudantes de 15 escolas de Cachoeirinha abraçaram a ideia de recuperar as relações e se preocupar mais com o outro, no lançamento da edição 2019 do Programa Tribos, que chega à 16ª edição na cidade e ainda tem inscrições abertas a escolas interessadas.

"O nosso tema deste ano é a empatia, eu e o outro, e os estudantes decidiram, para esta abertura, incentivar brincadeiras antigas, que os pais faziam, como forma de integrar a todos. Na brincadeira, tu aproximas, verbaliza. São questões em desuso no mundo das redes sociais", valoriza a coordenadora dos Parceiros Voluntários em Cachoeirinha, Lorete Ester Terra.

Na escola Luiz de Camões, os alunos optaram por lançar uma gincana, que terá etapas durante todo o ano e envolverá todas as turmas. Na manhã desta quarta, seguindo o modelo do que vinha acontecendo nas demais escolas participantes, a gincana abriu com direito a torcida agitada, dança da cadeira e corrida do ovo. Na verdade, é a sequência da gincana que já havia iniciado semanas atrás, e que tem como missão juntar o maior número de tampinhas plásticas coloridas para doação. A turma que mais arrecadar tampinhas, ganhará um dia de cinema na escola.

"Eu comecei a participar do Tribos como uma forma de fazer o meu papel para ajudar a minha escola e o pessoal que estuda aqui. A nossa escola só vai melhorar na estrutura se nos engajarmos em ideias como essa. No ano passado, já conquistamos a hora do conto para os pequenos, agora, queremos a brinquedoteca e melhorias para o ginásio", diz o Luiz Rafael Chardosim, de 13 anos, estudante do sétimo ano, que é um dos líderes do projeto na Luiz de Camões.

Ele é vizinho da escola e, literalmente, abraçou a causa. Assim como a professora Larissa de Castilhos, que em sala de aula, leciona física e química, mas lidera os projetos de voluntariado do Tribos.

"É um projeto que envolve carinho, o pensar mais nos outros do que em si mesmo. Nós tentamos sempre mostrar uma forma de tornar esses jovens menos egoístas", comenta a professora.

Na Luiz de Camões, o projeto foi retomado no ano passado, e tem um carinho especial por parte dos organizadores. É que a recuperação da empatia entre toda a comunidade escolar deste colégio, no bairro Bom Princípio, era missão prioritária depois do trauma de 2017, quando a menina Marta Gonçalves foi morta dentro da escola.

Foto por: Arquivo Pessoal
Descrição da foto: Oficinas de sensibilização para uma escola mais inclusiva
"Ao longo destes anos, temos observado que a participação dos estudantes no projeto retorna em muitas melhorias às escolas de uma maneira bem diferente, e muito mais participativa. São eles próprios que estabelecem suas prioridades e como vão executá-las. A Parceiros Voluntários está junto para articular parcerias e capacitar essas lideranças estudantis no voluntariado. Cachoeirinha está bastante integrada com o programa desde o início, e isso é gratificante", valoriza Lorete.

Ao todo, 93 municípios contam o Tribos, que é o maior programa de voluntariado infanto-juvenil do país.

Na manhã desta quarta, que marcou a abertura oficial da edição deste ano, além de gincanas e brincadeiras, como a da escola Luiz de Camões, houve ainda atividades de inclusão como no CAIC da Granja Esperança, onde os alunos organizaram esportes adaptados e oficinas de sensibilização e inclusão.

O programa

Quando uma escola entra para o Tribos, ela escolhe uma das três trilhas a seguir e, entre as quais, guiará uma série de atividades que estimulem o voluntariado durante o ano. São elas: educação para a paz, meio ambiente e cultura.

As inscrições para participar do programa em 2019 ainda estão abertas. Basta procurar a sede da Parceiros Voluntários em Cachoeirinha (Avenida General Flores da Cunha, 1320, Sala 306, Vila Imbuí, fone: 30415700). Ou entre no site do programa

Em 2018, foram 20 escolas participantes do Tribos na cidade

Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE