Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Esporte

A nova profissional do vôlei da família Jukoski

Pietra, segue o caminho do pai, Paulão e do irmão, Pedro
10/01/2019 10:34 10/01/2019 10:36

Pietra fez sua estreia na Superliga em 2018Vinda de um berço de ouro do vôlei, Pietra Jukoski é a mais nova campeã juvenil do campeonato paulista de vôlei. Aos 20 anos, a filha mais nova do campeão olímpico, Paulão e irmã do levantador Pedro, que joga no Manacor da Espanha, se despede da categoria de base para assumir a carreira profissional defendendo o Esporte Clube Pinheiros, no qual já disputa a Superliga de Vôlei 2018/2019.

Em conversa com a nossa reportagem, Pietra revelou a sua paixão pelo esporte, falou do amor e da união da sua família e, com serenidade, avalia as possibilidades para o seu futuro e o sonho que jogar na seleção brasileira. Ela não esconde que gosta de trabalhar, que nesse caso é treinar em dois turnos diários. Ainda assim, ela falou sobre o carinho que sente por Gravataí pela sua criação, dos amigos e familiares que povoam a Aldeia.

No dia 20 de dezembro, Pietra e suas colegas da equipe Juvenil do Pinheiros, foram campeãs paulistas, após fazerem uma campanha extraordinária com 24 partidas de invencibilidade. Mas a partir desse mês de janeiro, Pietra passou a integrar definitivamente a equipe profissional do Pinheiros. Ainda em 2018, mesmo sendo atleta da categoria de base, ela já treinava com as colegas profissionais, teve seu nome inscrito na Superliga e já atuou defendendo o Pinheiros. “É a terceira Superliga que eu sou inscrita, porém só foi esse ano que entrei em quadra. Jogar contra campeãs olímpicas é fantástico e inspirador. Por isso, essa Superliga está sendo muito especial para mim”.


Para chegar a essa preparação, Pietra diz que trabalha muito. São treinos diários em dois turnos. Mesmo assim, ela pretende voltar a estudar. “O Brasil é o país que treina vôlei de forma mais intensa. Ou estamos em quadra, praticando com bola ou estamos na academia, melhorando o condicionamento físico. Eu gosto e acho isso muito importante. Porém, eu sei que o tempo de atividade de um atleta profissional é curto. Eu já concluí o ensino médio e quero cursar a faculdade de administração, pois eu preciso me preparar para alguma eventualidade na minha carreira, por isso, ter um plano ‘B’ é fundamental”.


Pietra se despede da categoria juvenil com título paulistaMas como o período é de ascensão, Pietra sabe da importância de estar em forma e preparada para esse novo ciclo e o mais importante no vôlei. “O grande desafio de uma jovem atleta é de conseguir uma oportunidade de atuar. E quando isso acontece é fundamental estar em plena forma para garantir o espaço na equipe e conquistar a confiança do técnico. Aqui no Pinheiros há uma estrutura fantástica, recebo muito apoio técnico, tático e até psicológico e isso faz toda a diferença ao mesmo tempo que temos nossos sonhos pessoais, incluindo de chegar à Seleção Brasileira. Só tenho a agradecer e sei que esse momento é muito especial na minha vida”.


A Família

Pietra se emociona ao falar de sua família e do quanto são unidos. Ela destaca que seu pai, o Paulão, é a base para sua vocação ao esporte, mas vê em Pedro a inspiração para ser atleta. “Desde o início o pai ia me ver jogar. Da quadra eu observada a arquibancada e ele sempre passava alguma dica, mesmo que por gestos e que sempre me ajudava. Sei que ele é um campeão olímpico e isso me dá muito orgulho, mas o Pedro é a referência e a minha inspiração como ser humano e como atleta, porque a garra e a disciplina que ele tem para jogar são apaixonantes. Eu só tenho que agradecer a eles e também à minha mãe, mesmo que ela não tenha jogado, somos uma equipe que eu sinto muito orgulho de fazer parte”.


O Carinho do Sul

A família unida dentro e fora das quadrasPietra nasceu na cidade de Maringá, no estado do Paraná. Mas foi em Gravataí que ela cresceu, estudou e formou muitas amizades, onde morou até o ano de 2015. “Tenho muitas lembranças boas da cidade. Foi aí que eu e o Pedro crescemos e trazemos isso conosco. Tenho muitas e grandes amizades e boa parte dos nossos familiares vive em Gravataí. Sempre que dá, estou na cidade, pois vivi nela momentos maravilhosos como a minha infância e isso levamos para sempre na vida”.



  • Pietra fez sua estreia na Superliga em 2018
    Foto: Ricardo Bufolin/Divulgação
  • Pietra se despede da categoria juvenil com título paulista
    Foto: Divulgação
  • A família unida dentro e fora das quadras
    Foto: Divulgação

Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE