Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Em Nova York

Traficante mais famoso do mundo, El Chapo começa a ser julgado nos Estados Unidos

Durante o processo, que se estenderá durante mais de quatro meses
05/11/2018 08:04 05/11/2018 08:07

Foto por: ALFREDO ESTRELLA / AFP
Descrição da foto: El Chapo foi recapturado no dia 8 de janeiro de 2016
O temido chefe do tráfico mexicano Joaquín "El Chapo" Guzmán, acusado de liderar o maior cartel de drogas do planeta e de enviar mais de 155 toneladas de cocaína aos Estados Unidos durante 25 anos, começa a ser julgado nesta segunda-feira (5), em Nova York, sob medidas de segurança máxima.

Durante o processo, que se estenderá durante mais de quatro meses, o júri deve decidir se El Chapo, de 61 anos, considerado o maior traficante do mundo depois da morte do colombiano Pablo Escobar, é culpado ou não de 11 crimes de tráfico e distribuição de drogas, posse de armas e lavagem de dinheiro.

Sua condenação pode acarretar prisão perpétua.

O juiz do Brooklyn Brian Cogan e advogados de ambos os lados escolherão a portas fechadas, os 12 jurados que decidirão o destino de El Chapo. Seus nomes não serão revelados e eles serão escoltados até o tribunal por xerifes a cada dia.

Extraditado do México em janeiro de 2017, El Chapo é acusado de liderar entre 1989 e 2014 o impiedoso cartel de Sinaloa, o qual fundou e tornou a "maior organização de tráfico de drogas do mundo", segundo a acusação.

A Promotoria, que prepara o caso há anos, assegura que El Chapo enviou aos Estados Unidos ao menos 154.626 quilos de cocaína, além de várias toneladas de outras drogas, embolsando 14 bilhões de dólares.

El Chapo se declara inocente, mas o governo apresentou muitas evidências contra ele, tantas que a defesa diz não ter tempo de revisar: mais de 300 mil páginas de documentos e ao menos 117 mil gravações de áudio, além de centenas de fotos e vídeos.

A sua extradição há quase dois anos e seu julgamento são um grande triunfo para o governo americano, que nunca conseguiu extraditar e julgar Escobar, ex-chefe do cartel de Medellín que morreu em uma operação policial em 1993.



Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE