Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Decisão nesta terça

Conmebol confirma final da Libertadores fora da Argentina para 8 ou 9 de dezembro

A decisão foi tomada após reunião realizada na sede da entidade na cidade paraguaia de Luque
27/11/2018 15:49 27/11/2018 15:54

O presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez, informou nesta terça-feira (27) que a segunda partida da final da Copa Libertadores será disputada fora da Argentina nos dias 8 ou 9 de dezembro. A partida entre River Plate e Boca Juniors deveria ter sido realizada no sábado passado (24), no Monumental de Núñez, em Buenos Aires, mas um ataque da torcida do River ao ônibus do rival acabou impedindo a realização do jogo decisivo.

A decisão foi tomada pela Conmebol após reunião realizada na sede da entidade na cidade paraguaia de Luque, nos arredores de Assunção. O encontro contou com as presenças dos presidentes dos dois clubes argentinos: Daniel Angelici, do Boca Juniors, e Rodolfo D'Onofrio, mandatário do River Plate.

Ao fim da reunião, o presidente da Conmebol informou a decisão, pela qual "o partida da volta da final da Copa Libertadores será disputada entre os dias 8 e 9 de dezembro (sábado ou domingo), em horário e sede ainda a serem definidos pela administração da Conmebol assim que possível".

Após divulgar o comunicado com estas informações, o próprio Alejandro Dominguez anunciou que "a partida será jogada fora do território da Argentina". Ele alegou falta de segurança para realizar o decisivo jogo em solo argentino, após o ataque da torcida do River aos jogadores do Boca.

O apedrejamento do ônibus do Boca provocou lesões na região dos olhos de dois jogadores, os meias Pablo Pérez, que é o capitão do time, e Gonzalo Lamardo. Além disso, outros atletas passaram mal, pois um artefato contendo gás pimenta também foi atirado no veículo, e torcedores do River entraram em confronto com a polícia e invadiram o Monumental de Núñez.

O episódio de violência fez os dirigentes adiarem a partida por horas antes da transferência para domingo (25). No dia seguinte, a final foi novamente adiada, sem data definida. Na reunião desta terça, havia a expectativa de que local e dia fossem confirmados, o que só ocorreu com a data.

Antes do anúncio da Conmebol, havia rumores sobre a realização da partida em outros países, como Estados Unidos, Catar e Paraguai, onde fica a sede da Conmebol. Nesta terça, os gestores do Mineirão colocaram o estádio à disposição para receber a partida sem custos.

Ao divulgar o comunicado, a entidade responsável pela gestão do futebol sul-americano garantiu que pagará os custos com as viagens dos dois times. "A Conmebol vai arcar com os gastos de hotel, viagens, alimentação e transporte interno para até 40 integrantes de cada delegação".

Ainda há a possibilidade de estas decisões serem afetadas por eventuais punições aplicadas ao River Plate, que foi denunciado pela entidade nesta terça. O Tribunal Disciplinar ainda vai julgar o caso, sem data definida.


Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE