Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Exemplo

No Rincão da Madalena, existe um tatame cheio de sonhos

Projeto que é realizado em quatro bairros de Gravataí oferece Taewondo gratuito a crianças e precisa de ajuda para comprar equipamentos
09/07/2018 10:14 11/07/2018 13:01



Diléa Fronza/Diléa Fronza/GES-Especial
Deise (E) ensina cerca de 30 crianças do Rincão da Madalena a arte do Taekwondo
Há um ano, o Rincão da Madalena recebeu o projeto Esporte Emancipa. Feito por voluntários, ele já está em quatro bairros da cidade. Além do Rincão, as atividades são realizadas no Xará, na Vila Cruzeiro e Loteamento Princesa. Aos sábados, a casa simples da Travessa Aliança, a garagem de tijolos à vista recebe um tatame e ali, cerca de 30 crianças, aprendem o taekwondo, uma arte marcial.

A professora é Deise Klimeck, que já atuou em algumas academias de Gravataí e hoje ensina no projeto social. “Eu já dei aula mas meu sonho sempre foi fazer desta forma, gratuitamente, para as crianças carentes. Há um ano eu fiz a proposta para trazermos o projeto para o Rincão da Madalena e conseguimos”, conta ela.

No ano passado, Deise fez uma campanha para conseguir o tatame. “As crianças ficam de pés descalços e o piso é muito frio. Além disso, há o risco de se machucarem. Quando começamos, as mães mandavam tapetes de pano de casa, mas não era o ideal. Fiz a campanha na Internet e também foi feita uma matéria que saiu no Correio de Gravataí e no Diário de Cachoeirinha. Graças a ela, recebemos em maio o tapete e agora eles podem treinar com um pouco mais de segurança”, conta.

Aos poucos e com ajuda, o projeto começa a se desenvolver. As crianças, a maioria da região e de bairros próximos, participam das aulas aos sábados de manhã. E para fazer parte da equipe, precisa ter disciplina, não só para o esporte. “O meu pagamento são as boas notas e as avaliações positivas vinda da escola. Para ficar no projeto, tem que ser bom aluno”, garante Deise.

Rifa e campanha para equipamentos


Diléa Fronza/Diléa Fronza/GES-Especial
A turminha é dividida em dois horários, sempre aos sábados pela manhã
As crianças estão se preparando para participar dos exames de troca de faixa que vão acontecer em Cachoeirinha em agosto deste ano. “Eles se esforçam muito e querem participar. Por isso, estamos fazendo a preparação para a data”, explica a professora. Mas para isso, o sonho é poder ter equipamentos para que todos consigam treinar ao mesmo tempo.

Hoje as proteções para braços, pernas e peitos usadas, são três. O mínimo seriam 10 pois são duas turmas de quinze alunos. Para conseguir, Deise não fica parada. Fez uma rifa e vai sortear alguns prêmios recebidos. Cada kit de proteção custa cerca de R$ 230. Somado a ele, seria necessária a compra de um capacete, este no valor aproximado de R$ 100. “As famílias ajudam como podem e as crianças estão empenhadas em vender a rifa. Quando conseguimos um pouco de dinheiro, vamos comprando o que dá. Contamos muito com a solidariedade das pessoas”, acrescenta ela.

O desejo é poder mostrar para todos que ali no Rincão da Madalena, bairro que muitas vezes ocupa as páginas de notícias por questões trágicas, tem esporte, solidariedade e muitos lutadores, não só na vida, mas também no esporte.

A mudança vista pelas mães


Diléa Fronza/GES-Especial
Lucas veste o equipamento que precisa ser comprado para as crianças
Um dos alunos que frequenta o Esporte Emancipa não é do Rincão ou dos bairros próximos. Todos os sábados, Lucas Cabral, seis anos, e a mãe Lissandra Bravo saem do bairro Vera Cruz e vão para o Rincão. Diagnosticado com autismo, o menino conheceu a professora quando ela dava aulas em uma academia. “O esporte é fundamental para ele. A partir das aulas, ele passou a se desenvolver mais, começou a se relacionar com as pessoas e a ter disciplina. Onde a Deise vai, nós estamos juntos”, conta a mãe.

Anelise Gonçalves leva dois filhos para as aulas. Pedro Henrique, 7 anos e Erick, 9, gostam muto da professora. O mais velho também é autista. “Mudou muito. O Pedro passou a ser mais calmo. O Erick deixou de ser retraído. Os dois melhoraram muito na escola. A Deise é maravilhosa e o projeto muito importante para todos nós do Rincão”, diz ela.

Josimari Guedes Inácio levou pela sexta ves o filho Luis Fernando, 8 anos, às aulas. Ele também é uma criança especial. “O Luis tem déficit de atenção e nada faz ele parar. Só as aulas de taekwondo. Em pouco tempo, a agressividade dele diminuiu muito”, conta.
Maraiza de Oliveira leva os três filhos para as aulas. Lucas, 5 anos, Brenda, 10 e Giovanna,11, aguardam a semana toda para participar das atividades. “A Giovanna preferiu perder a festa da escola à aula. Hoje não tem mais briga lá em casa. Eles gastam toda a energia treinando. E se cuidam muito na escola para não faltar e ter boas notas porque sabem que é importante para poder participar do projeto”, comemora.

Como ajudar:

Você pode entrar em contato com a professora Deise através do telefone 99717-0636 ou pelo WhatsApp 98263-7575.

A equipe possui uma conta bancária para depósito. É uma conta poupança da Caixa em nome de Deise Klimeck de Lemos.

Agência 0478, operação 013, Conta 000145744.

Para conhecer o trabalho e ter mais informações, você pode acessar a página do projeto no Facebook chamada Esporte Emancipa Rincão da Madalena.


Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE