Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Calamidade

Já são 75 mortos por causa de chuvas no Japão

Serviço de meteorologia estimou que nível de precipitação foi o maior em décadas
08/07/2018 23:44 09/07/2018 00:11

O número de mortes nas chuvas recordes que devastaram partes do Japão subiu para 75, de acordo com uma contagem oficial divulgada na noite deste domingo, dia 8 (manhã de segunda-feira dia 9 no Japão). As operações de resgate continuam. Dezenas de pessoas continuam desaparecidas após os dias de chuvas torrenciais que causaram enchentes e deslizamentos de terra. A mídia local aponta o número de mortes em cerca de 90 pessoas.

As equipes de resgate japonesas lutavam contra o tempo neste domingo para resgatar pessoas atingidas pelas enchentes. "As operações de resgate, o salvamento de vidas e as evacuações são uma corrida contra o tempo", declarou o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, durante reunião de crise com os primeiros ministros, enquanto o porta-voz do governo anunciou que o balanço de vítimas fatais poderia aumentar pois a chuva continua caindo em áreas já muito afetadas.

Mais cedo, a Agência de gestão de incêndios e catástrofes naturais relatou que 100 moradores das regiões mais afetadas ficaram feridos. O estado de alerta máximo para três províncias do oeste (Kochi, Ehime e Gifu) foi retirado, mas seguem vigentes as advertências.

As chuvas superaram um metro em 72 horas em várias regiões. A agência de meteorologia considerou que níveis como estes não eram alcançados há décadas e qualificou estas chuvas como "terríveis", advertindo que se estenderão até o domingo. As fábricas (Panasonic, Mitsubishi Motors, Mazda) foram obrigadas a paralisar suas cadeias de produção na região, assim como empresas de serviços como Amazon.

O Japão costuma ser afetado por fortes frentes de chuva, além de tufões, muitas vezes mortais, que alcançam o arquipélago no verão.


Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE