Jornais
FECHAR
  • Jornal NH
  • Jornal VS
  • Diário de Canoas
  • Jornal de Gramado
  • Diário de Cachoeirinha
Grupo Sinos
Correio de Gravataí
Publicado em 22/01/2015 - 19h47
Última atualização em 22/01/2015 - 19h51

Montadora chinesa de caminhões começa a operar em 2016 em Guaíba

Unidade já está sendo construída, com investimento de 250 milhões

Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratin
O Rio Grande do Sul terá a primeira montadora de caminhões da marca chinesa Foton na América Latina. Com investimento de R$ 250 milhões, a unidade já está sendo construída em Guaíba, na Região Metropolitana de Porto Alegre, para iniciar as operações no primeiro semestre de 2016. O cronograma do projeto foi apresentado ao governador José Ivo Sartori nesta quinta-feira (22), no Palácio Piratini, pela diretoria da Foton no Brasil, liderada pelo presidente Luiz Carlos Mendonça de Barros.
 
Segundo o governador, com a implantação da fábrica, crescerá a participação do Estado na produção nacional de caminhões. Também ficará fortalecida toda a cadeia gaúcha de produção automotiva, que já abrange tanto a Serra como a Região Metropolitana.

Questões como licenças ambientais e aporte de recursos ''estão superadas'', conforme frisou Sartori. A Foton Brasil já recebeu renovação no Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores (Inovar-Auto) e o status do licenciamento ambiental (LP/LI/LO). Também acompanharam a exposição do cronograma o secretário de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, Fábio Branco, e a primeira-dama do Estado, Maria Helena Sartori.

De acordo com Mendonça de Barros, a montadora terá capacidade de produção de 21.150 caminhões por ano. ''No primeiro momento, serão caminhões leves", explicou. "Avançamos a passos largos na construção da fábrica em Guaíba. O Estado é nosso parceiro estratégico, e o governador Sartori confirmou a disposição de receber o investimento.''

A área de instalação da unidade foi cedida pelo Estado. O empreendimento conta com apoio financeiro do Banrisul, através de repasse do BNDES, e gerou, nesta etapa de obras, 300 empregos diretos e mil indiretos.

Publicidade