Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Motores

Uma S10 muito especial

Série limitada comemora os 100 anos de produção de picapes da Chevrolet.

Para comemorar seus 100 anos de produção de picapes no mundo, a Chevrolet lança a série especial 100 Years para a S10, por R$ 187,59 mil.


O modelo difere-se pela gravata vintage, pintada em azul escuro e grafada com nome da marca, como na primeira picape da marca produzida nos Estados Unidos. O emblema aparece na dianteira, na tampa traseira e portas. Para combinar, foi desenvolvida uma tinta metálica exclusiva para a carroceria, batizada de azul steel, que cobre também as molduras da grade frontal que envolve os filetes horizontais cromados e a barra preta central.


O azul, o preto e o cromado são predominantes. Também conta com elementos estéticos inéditos, como os adesivos que delimitam os vincos acentuados do capô do motor. Outras picapes da marca no mundo estão ganhando simultaneamente a mesma série comemorativa e acabamento semelhante, como Colorado e Silverado nos Estados Unidos.

Novas rodas

As rodas aro 18’’ de estilo clássico passaram por uma releitura com o novo acabamento, enquanto a capota marítima segue o mesmo tom do santo-antônio que envolve toda a parte superior da caçamba. A lona traz a inscrição “100 Years” em baixo relevo.

Acabamento em dois tons

A cabine traz acabamento premium nos tons preto jet black e cinza dark ash gray. A identificação da série especial aparece em uma plaqueta anexa à maçaneta das portas dianteiras. É lá que está grafada a numeração do veículo, de que vai de 1 a 450 no Brasil.

Motor 2.8 Turbo Diesel


O modelo é baseado na versão mais sofisticada da gama, a High Country, com motor 2.8 Turbo Diesel, tração 4x4 e transmissão automática de seis marchas com tecnologia CPA, que ajuda a reduzir os níveis de ruído e de vibração a patamares similares aos de automóveis de luxo. São 200 cv de potência e 51 kgfm de torque.

Equinox coração de leão

O motor de 262 cv usado em uma das versões do Camaro nos Estados Unidos garante esportividade ao SUV da Chevrolet.

São Paulo - SUV mais vendido da Chevrolet no mundo, o novo Equinox chega ao Brasil repleto de tecnologias e o mesmo powertrain de uma das versões do Camaro nos Estados Unidos: motor 2.0 turbo de 262 cv e câmbio automático de 9 marchas. Lançado no mercado morte-americano no mês passado, por aqui é comercializado em versão única, a topo de linha Premier, por R$ 149,99 mil.

Importado do México, o carro já havia feito sua pré-estreia no Salão de Buenos Aires, em junho. Agora, chegou a vez de dirigi-lo, em test-drive de 150 km entre a capital paulista e Porto Feliz, no interior do Estado. Em velocidades de cruzeiro, os níveis de silêncio são elevados: além do para-brisa acústico, há um sistema que anula ruídos através dos alto-falantes ao emitir as ondas sonoras contrárias, bastando o rádio estar ligado. Essa tecnologia é emprestada dos aviões executivos.


Marcelo Bertocchi, da Engenharia da GM, destaca inovações como o turbo de duplo fluxo e sistema start-stop, que garantem 10,1 km/l na estrada e 8,4 km/l na cidade. “É um ótimo consumo, semelhante a carros com motor aspirado”, avalia. Em termos de segurança, são 15 sistemas atuando no chassi, a exemplo de controles de tração e estabilidade e de balanço do reboque. A frenagem automática de emergência é feita a até 80 km/h para evitar ou até reduzir os danos em uma colisão. Assistente de permanência de faixa, já presente no Cruze, ajuda a fazer pequenas correções ao detectar sinais de distração do condutor.

Uma importante novidade é o sistema que avisa sobre a presença de crianças ou objetos no banco traseiro, podendo até evitar mortes. Já o porta-malas tem acionamento sensorial, bastando passar o pé sob o para-choque traseiro para que seja automaticamente aberto. Muito útil quando se está com as mãos ocupadas com compras ou objetos.

Viagem a convite da Chevrolet

Design


Na traseira, o aerofólio parece flutuar sobre o vidro que envolve toda a área externa do compartimento de bagagem. Na base, duas saídas de escape completam o conjunto. Cromados aparecem delineando as janelas das portas e na grade frontal. O exterior traz elementos característicos dos novos carros globais da Chevrolet, como a frente ampla e horizontal, faróis afilados integrados à grade. Rodas são em alumínio aro 19’’, calçadas com pneus 235/50.

Dimensões

Modelo tem 4,65 m de comprimento, 2,10 m de largura e 1,69 m de altura. Seu peso é de 1.693 kg.

Teto solar panorâmico e escamoteável

A sensação de amplitude é potencializada pelo teto solar panorâmico e pela disposição dos elementos, pensados para a ergonomia e funcionalidade. O painel frontal, por exemplo, está desconectado do console central, trazendo mais conforto e espaço para os ocupantes.

Abertura do porta-malas ocorre via sensorial

O volume de carga máxima pode variar de 468 l até 1.627 l, dependendo da configuração dos bancos. O assento traseiro pode ser rebatido por meio de uma funcional alavanca localizada na parede lateral direita do compartimento de carga, criando uma superfície plana e facilitando assim a acomodação de itens compridos. O porta-malas conta, ainda, com um porta-objetos subterrâneo de 79 l, que possibilita separar fisicamente diferentes tipos de carga. Permite, por exemplo, que uma família vá ao parque carregando patins e outros apetrechos recreativos, reservando o espaço de cima para transportar o bicho de estimação com maior proteção e privacidade. Além dos porta-objetos tradicionais que a maioria dos SUVs oferecem, tem um local para acomodar um pequeno guarda-chuva no console da porta do motorista.

Performance


O Equinox conta com performance que pode ser comparada a modelos com apelo esportivo. Além de proporcionar acelerações e retomadas de velocidades vigorosas, os 37 kgfm de torque do motor 2.0 turbo podem ser distribuídos em percentuais diferentes para cada uma das quatro rodas para que seja garantida melhor dirigibilidade.

Números


De cara já dá para perceber do que o propulsor de quatro cilindros é capaz: arrancadas e retomadas agressivas. Segundo a montadora, a aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 7,6 s e a máxima é de 210 km/h, limitada eletronicamente. São 37 kgfm de torque, o equivalente a um V6 moderno.

Ao pisar fundo no acelerador, o motor faz ecoar um belo ronco e os giros sobem rapidamente. Entretanto, os pneus não cantam. Ótimo sinal, pois significa que os controles eletrônicos e a tração integral nas quatro rodas funcionam de forma eficiente.

Equipamentos

Modelo vem com abertura das portas e alarme anti-furto através de sensor de aproximação na chave, acendimento automático dos faróis por meio de sensor crepuscular, apliques decorativos no painel central e nas portas dianteiras em LED, ar-condicionado dual zone com controle eletrônico de temperatura, sistema de recirculação e dutos de ar para o banco traseiro, controles de áudio e telefonia no volante, Controle de velocidade em declive (Hill Descent Control), Assistente de partida em aclive (Hill Start Assist), chave presencial eletrônica, coluna de direção com regulagem em altura e profundidade, computador de bordo com tela em LCD colorida, com cinco modos, controlador de velocidade de cruzeiro, direção elétrica progressiva, espelhos retrovisores externos elétricos, aquecidos, com indicador de direção e rebatimento elétrico, espelho retrovisor interno eletrocrômico, freio de estacionamento elétrico, sensor de chuva com ajuste automático de intensidade, partida sem chave e também via controle remoto com acionamento do ar-condicionado, se estiver ligado, trava elétrica das portas com acionamento na chave, vidro elétrico nas portas com acionamento por “um-toque”, anti esmagamento e fechamento/abertura automáticos pela chave, volante de direção, bancos e painel de apoios de braço com revestimento premium.

Faróis Full LED

Faróis Full LED com faixo alto inteligentes: além do alto poder de iluminação, esse sistema acende e apaga os faróis altos de acordo com as condições do trânsito ao redor. Os faróis altos são acionados quando está suficientemente escuro e não há outros veículos presentes, para evitar o ofuscamento dos demais motoristas. O sistema só ativa os faróis altos durante condução acima de 40 km/h. Outro recurso é o farol com ajuste de nivelamento automático, que considera a carga transportada, calibragem dos pneus e a inclinação da rua.

Tecnologias


Confira a lista dos principais sistemas de segurança do SUV:

Frenagem automática de emergência (AEB): caso o veículo esteja trafegando entre 8 km/h e 80 km/h e detecte a iminência de uma colisão frontal sem qualquer reação do condutor, um alerta é acionado e os freios são ativados automaticamente na tentativa de evitar ou mesmo reduzir a severidade do acidente.

Pré-ativação dos freios: a fim de acelerar o tempo de resposta dos freios e ajudar a encurtar distâncias de parada, assim que o motorista tira o pé do acelerador, o sistema aumenta ligeiramente a pressão hidráulica nas linhas de freio e aproxima as pinças em antecipação a uma possível frenagem de emergência.

Compensação de frenagem: o uso contínuo do freio, como em descidas de Serra, pode provocar o superaquecimento dos sistemas tradicionais e, consequentemente, demandar uma maior pressão no pedal para a realização de uma frenagem eficiente. Em situações como esta, o Equinox é capaz de identificar e compensar variações, mantendo o curso do pedal sempre constante, inclusive para maior conforto.

Assistência de frenagem de emergência (PBA): em uma situação onde seja necessário realizar uma frenagem brusca, este recurso complementa o esforço para garantir a máxima pressão, mesmo que o condutor não tenha exercido força total sobre o pedal.


Alerta de colisão frontal: o motorista estabelece eletronicamente uma distância mínima em relação ao veículo à frente, podendo ser alertado caso o outro carro sofra uma repentina redução de velocidade. Além de luzes vermelhas piscarem na base do para-brisa, outros alarmes podem disparar, sonoro ou sensorial.

Banco do motorista com alerta tátil de segurança: caso o usuário não queira ser avisado por meio de alarmes sonoros, pode optar por um alerta sensorial. Neste caso, o banco do motorista vibra ao detectar a iminência de algum acidente. Os pulsos vibratórios podem ocorrer no lado esquerdo ou direito do assento, dependendo do lado da ameaça, como ocorre em aplicações aeroespaciais e militares.

Assistente de permanência na faixa: uma câmera na parte superior do para-brisas “lê” as faixas da estrada e faz eventuais correções na trajetória do veículo ao perceber que está saindo involuntariamente da pista. O sistema opera entre 60 km/h e 180 km/h.

Alerta de ponto cego com sensor de aproximação repentina: auxilia em mudanças de faixa. Uma luz acende no retrovisor externo, atentando sobre a presença em ponto cego ou da rápida aproximação de um outro automóvel ou motocicleta em tráfego lateral distante até 70 m.

Controle eletrônico de tração e de estabilidade com tecnologia que atenua o risco de capotagem: os freios podem atuar automaticamente com diferentes pressões nas rodas, antecipando-se e prevendo possível perda de contato do pneu com o solo em decorrência de alguma manobra arriscada.

Alerta de esquecimento de pessoas ou objetos no banco traseiro: toda vez que as portas traseiras são abertas até 10 minutos antes do acionamento da ignição, o veículo memoriza a ação durante toda viagem e adverte o motorista no momento do seu desembarque. Soa um sinal sonoro e aparece uma mensagem no visor do computador de bordo relembrando que pode haver pessoa ou objeto no banco traseiro.

Célula de sobrevivência: comum em carros de competição, conta com uma espécie de gaiola altamente estruturada e reforçada por materiais nobres na região onde ficam acomodados os ocupantes.

Câmera de ré com linhas guias e alerta de tráfego cruzado traseiro: ao sair de marcha à ré de uma vaga ou garagem, nem sempre é possível ter uma visão periférica para executar a manobra com total segurança. No Equinox, sensores no para-choque traseiro são capazes de detectar a aproximação de outro veículo vindo a até 25 m na perpendicular. Bipes soam e surge um triângulo de advertência com uma seta apontando para o lado da ocorrência, piscando sobre a imagem captada pela câmera de ré. Destacam-se ainda os seis air bags (frontais, laterais e de cortina), além dos serviços de emergência e resgate do OnStar.

S10 a Diesel ou flex?

Com o lançamento da configuração flex automática, colocamos os valores de aquisição e dados de consumo na ponta do lápis para ajudar você a tomar a decisão.


Diesel ou flex? A dúvida assola muitos compradores de picape na hora de fechar negócio. Para piorar – quer dizer, melhorar – a Chevrolet lançou em maio passado sua primeira opção flex 2.5 de 206 cv com câmbio automático, equipamento antes disponível apenas associado ao propulsor 2.8 turbodiesel de 200 cv.


Se na cavalaria os números são quase idênticos, mas levemente em favor do motor flex (206 cv contra 200 cv), quando o assunto é o torque a situação se inverte e o diesel leva vantagem: 51 kgfm de torque contra 27,3 kgfm. A flex tem ótimas acelerações e retomadas, mas quem precisa puxar trailers, por exemplo, deve optar pelo diesel. Outras vantagens da versão diesel são a maior autonomia e a menor depreciação na hora da revenda.

Os preços das versões automáticas flex começam em R$ 107,99 mil (LT 4x2) e vão até R$ 130,99 mil (LTZ 4x4). Já as configurações diesel começam em R$ 130,69 mil (LS 4x4) e vão até R$ 181,59 mil (High Country 4x4). No pacote equivalente em termos de equipamentos, a LT 4x4 flex custa R$ 116,99 mil, R$ 30 mil a menos que a LT 4x4 diesel automática. Na configuração LTZ 4x4 com câmbio automático, a diferença é maior: a Flex custa R$ 130,99 mil, um total de R$ 41 mil a menos que a diesel (R$ 171,99 mil). A GM diz que os R$ 41 mil a mais cobrados pelo motor a diesel ‘‘devem-se às tecnologias utilizadas’’, pois não há diferença de impostos sobre os propulsores.

O que ajuda a definir a compra é o total de quilômetros que o comprador roda por mês. Com a gasolina acima dos 4 reais o litro e o diesel a R$ 2,80, é preciso colocar na ponta do lápis. Segundo o Conpet/Inmetro, a nova configuração flex é capaz de fazer, com gasolina, 9,4 km/l na estrada e 7,9 km/l na cidade. Na diesel, a economia é maior: 8,4 km/l na cidade e 10,4 km/l na estrada.


Simulações

Tendo esses números como base, simulação mostra que quem roda mil km por mês em estradas vai gastar R$ 264,15 na picape diesel e 425 reais na flex. Descontando os 205 reais de juros obtidos na poupança, o gasto mensal é de 220 reais, abaixo dos R$ 264,15 do gasto com diesel. Ou seja: quem roda até essa quilometragem por mês pode optar pela flex. Mas a partir daí as vantagens são da diesel: quem anda 2 mil km por mês vai desembolsar R$ 528,30 reais na diesel e R$ 851,06 na flex. Na simulação de 3 mil km mês, a diesel gasta R$ 792,45 e, a flex, R$ 1.276,59.


Os gastos com diesel, no caso da S10, são 38% menores que os com gasolina. Mas dependendo do resultado, os 205 reais mensais de juros com a poupança que podem ser obtidos com os R$ 41 mil economizados no valor da compra da versão flex ajudam a amortizar ou até anular a conta mais salgada com a gasolina.



Valor do seguro total

O valor do seguro total é outro ponto a ser observado. Historicamente o prêmio das picapes a diesel sempre foi mais alto, mas ultimamente as flex têm se aproximado bastante. Confira a simulação feita para um morador de Novo Hamburgo na faixa dos 40 anos (cotação válida para um seguro novo, pois quem tem classe máxima 10 tem 40% de desconto):

Diesel: R$ 5.557,41

Flex: R$ 4.848,28


Na diesel, 200 cv

Sob o capô, o turbodiesel 2.8 de quatro cilindros gera 200 cv e 51 kgfm de torque. É força mais do que suficiente para movimentar a picape. Outra vantagem é a boa autonomia: com um tanque de 76 l dá para rodar quase 800 km. O câmbio automático de seis marchas tem as opções 4x4 e 4x4 reduzida. A aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 10,3 s. Versão pesa 2.042 kg, 108 kg a mais que a flex (1.934 kg).

Na Flex, 206 cv

O 2.5 Ecotec Cidi com injeção direta tem apenas quatro cilindros, mas desenvolve a força de um 5 cilindros, com a vantagem do reduzido nível de ruídos. Com álcool, são 206 cv de potência que chegam aos 6.000 rpm e 27,3 kgfm de torque disponíveis bem antes, a 4.400 rpm. Com gasolina, os números são de 197 cv e 26,3 kgfm, respectivamente. Resultado: bastante agilidade para um veículo de 1.934 kg. A aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 9,5 s.


Tecnologia CPA reduz vibrações

Na linha 2018, as motorizações a diesel associadas ao câmbio automático passam a vir equipadas com a tecnologia CPA (Centrifugal Pendulum Absorber), que ajuda a reduzir os níveis de ruído e de vibração da picape a patamares similares aos de automóveis a diesel de luxo. A novidade foi apresentada no último dia 31 durante a Expointer.

Além disso, otimiza o acoplamento da transmissão em rotações mais baixas, proporcionando a sensação de melhor aceleração, retomada de velocidade e menor consumo de combustível. Isto acontece pelo fato de o veículo responder mais prontamente aos comandos do pedal do acelerador. Além de funcionar como um filtro de vibrações, o CPA possibilita o acoplamento antecipado da transmissão, melhorando também a eficiência energética do veículo em até 13%. Para isso foi desenvolvida uma nova calibração do motor 2.8 turbodiesel e da transmissão de seis marchas (manual ou automática), além da adoção de um sistema de gerenciamento elétrico mais moderno, soluções introduzidas recentemente na Chevrolet Colorado norte-americana.


Vendas triplicadas

 Gerente de Marketing de Produto da GM Mercosul, Rogério Sasaki (foto) reforça que justamente para atender a um perfil de consumidor mais urbano é que a montadora lançou, em maio, a nova versão flex automática. ‘‘São pessoas que não precisam ter um veículo a diesel, mas querem a robustez de uma picape com o conforto da transmissão automática’’, salienta. Desde então, as vendas da S10 flex triplicaram, atingindo 1.191 unidades no acumulado de janeiro a agosto deste ano. Já as versões a diesel totalizam 1.606 unidades no mesmo período. As versões flex hoje representam 35% do mercado de picapes no Brasil e a S10 flex abocanha 64% deste segmento. Durante a Expointer, a GM vendeu 201 veículos, 28% a mais que em 2016. Deste total, 42% foram S10.


Equipamentos

Em termos de equipamentos, as versões LTZ (Luxo) diesel e flex são equivalentes, trazendo, entre outros itens, direção elétrica progressiva inteligente, alertas de colisão frontal e de saída de faixa, assistente de rampa, controle eletrônico de estabilidade e tração, faróis e lanternas com LED, banco do motorista com ajustes elétricos, telemática avançada OnStar Exclusive e multimídia MyLink com Android Auto e Apple Car Play.

A possibilidade de partida remota do motor pela chave é novidade, uma herança dos modelos mais sofisticados. A tecnologia permite que a cabine seja climatizada antes dos ocupantes entrarem, muito útil em dias quentes ou frios.



OS PREÇOS


Versões diesel cabine dupla:

LS manual:
R$ 130,69 mil

LT manual:
R$ 146,69 mil

LT automática:
R$ 153,99 mil

LTZ automática:
R$ 171,99 mil

High Country automática:
R$ 181,59 mil

Fonte: Chevrolet


OS PREÇOS

Versões flex cabine dupla:

LT 4x2:
R$ 107,99 mil

LT 4x4:
R$ 116,99 mil

LTZ 4x2:
R$ 122,99 mil

LTZ 4x4:
R$ 130,99 mil

Fonte: Chevrolet

Versões flex cabine dupla:

Expoclassic reúne 700 veículos antigos

Mostra ocorre na Fenac, em Novo Hamburgo, nos dias 18, 19 e 20.

Maior exposição de veículos antigos do Brasil em área coberta, a Expoclassic chega à 15ª edição neste final de semana. A previsão é de que 700 modelos – entre carros, caminhões, ônibus, motos e bicicletas – ocupem os pavilhões da Fenac, em Novo Hamburgo, nos dias 18, 19 e 20.

Os ingressos custam 15 reais, mesmo valor do estacionamento. Neste ano, uma das novidades são as homenagens a um dos veículos-ícones de Novo Hamburgo, o Galaxie, que completa seus 50 anos. Isso porque, durante certo tempo, a cidade foi uma das que mais vendeu o modelo no Brasil.

Também ocorrerão o 7o Classic Bus, a 8a Exposição de Cadillacs e o 5o Encontro de Vespas e motonetas. Já os 70 anos da Lambretta serão celebrados com modelos vindos dos três Estados do Sul. Haverá, também, um pavilhão destinado à venda de veículos antigos, além do grande acervo do mercado de “pulgas”, as tradicionais peças para restauração.

No domingo tem The Travellers

The Travellers: uma das melhores bandas do Brasil no estilo country-rock

Entre as atrações musicais estão, no sábado, às 17 horas, a Banda Elvis Celebration in Concert e, no domingo, também às 17 horas, o tradicional show da Banda The Travellers, considerada uma das melhores do Brasil no estilo country-rock.

Veículos-destaque

Neste ano, não haverá um único veículo-destaque, pois todos os modelos que já estamparam o cartaz de divulgação da Expoclassic serão homenageados. Confira quais foram em cada uma das edições:

2003: Chevy Impala conversível - Chevrolet 1965

2004: Ramona - Chevrolet 1929

2005: Serie 62 - Cadillac 1950

2006: Twin-six car - Packard 1923

2007: Belair Nomade - Chevrolet 1955 

2008: Ford Fairlaine - 1955

2009: Coupé Deville - Cadillac 1959

2010: Daimler Limousine 1952

2011: Deville Série II - Cadillac 1963  

2012: Fairlane 500 Skyliner - Ford 1958

2013: Modelo 359 - Peterbilt 1981

2014: Fletwood - Cadillac 1956

2015: DeLorean - DMC 1981

2016: Fletwood - Cadillac 1955

Peterbilt: típico caminhão norte-americano

SERVIÇO

O quê: Expoclassic 2017 – 15 anos

Onde: Fenac, em Novo Hamburgo

Quando: 18 a 20 de agosto

Horários: sexta-feira das 14 às 21 horas, sábado das 9 às 21 horas e domingo das 9 às 18h30

Quanto: 15 reais a entrada (crianças, estudantes e idosos pagam meia) e 15 reais o estacionamento

Praça de alimentação: serão comercializados tanto lanches quanto almoços (bufê).