Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
Palpites de Mãe
Perigo

Com os pequenos todo cuidado é pouco

Acidentes domésticos podem colocar a vida em risco
09/02/2018 14:37 09/02/2018 14:38


Internet/Reprodução
Comprimidos podem ser confundidos com doces e balas e causar intoxicação
Todo o cuidado é pouco quando se tem crianças. Neste período de férias, sobretudo, quando os pequenos ficam ainda mais tempo em casa, a atenção deve ser redobrada para evitar acidentes domésticos. Remédios, produtos de limpeza e venenos em locais inadequados, piscinas e tomadas desprotegidas e ainda janelas e sacadas sem telas, podem gerar tragédias que marcarão para sempre.

A médica pediatra e emergencista Nathalie Konarzewski afirma que neste período do ano, afogamentos em piscinas e acesso fácil a medicamentos e produtos de limpeza são os piores vilões. “Os pais precisam estar sempre atentos quando se tem uma piscina em casa e os filhos ainda não sabem nadar. Além disso, o cuidado com guardar medicamentos também é importante.”

Procura por socorro


Internet/Arquivo Pessoal
Médica pediatra e emergencista Nathalie Konarzewski
A pediatra Nathalie destaca que caso ocorra o acidente doméstico, o socorro precisa ser procurado imediatamente. “No caso de ingestão de remédios, por exemplo, há um tempo para que possamos fazer algo e, muitas vezes os pais ficam com a criança em casa, monitorando, sem saber o real perigo do que aconteceu.”

Nos casos de choque elétrico e afogamento, a médica também orienta a busca por socorro em emergência.

Ainda com relação aos perigos com os pequenos, Nathalie ressalta a proibição de andadores. “Estes equipamentos podem causar traumatismo craniano quando as quedas ocorrem, por isso o perigo.”

Queimaduras


Arquivo Pessoal
Leite quente atingiu braço, peito e pescoço de Nicolas
Nicolas Gomes, quando estava com 1 anos e dois meses de vida, acabou tendo uma queimadura com leite quente (foto). Segundo a avó Nair Ribeiro, 54 anos, foi uma questão de segundos para que tudo ocorresse. “Eu já tinha tirado a caneca do fogo e colocado na pia. Ele ficou na ponta dos pés e puxou. Foram os piores segundos da minha vida.” O pescoço, peito e braço do menino acabaram com queimaduras e depois de 11 dias hospitalizado, recebeu alta. A avó comenta que ficou traumatizada e até hoje, tem cuidado redobrado com o pequeno. “É algo que não queremos que ocorra com ninguém.”

Tenha cuidado com:

• Produtos químicos e venenos em locais incorretos.
• Fiação exposta e tomadas desprotegidas.
• Janelas ou até mesmo copos e pratos trincados sempre devem ser trocados imediatamente.
• Sacadas e parapeitos sem redes de proteção.
• Andador: atrasa o desenvolvimento da criança e tem o risco de queda.
• Planta tóxica como o Copo de Leite e o Comigo Ninguém Pode.
• Piscina enquanto os filhos não aprenderem a nadar.
• Medicações no alcance das crianças.
• Proteção em escadas.


Correio de Gravataí

Palpites de Mãe

por Paloma Vargas
paloma.vargas@gruposinos.com.br

Paloma Vargas é repórter dos jornais Correio de Gravataí e Diário de Cachoeirinha. Nessa nova fase de sua vida, em que espera a chegada do André, ela dividirá a experiência de ser mãe de primeira viagem neste blog, e também quinzenalmente nas páginas impressas de CG e DCA.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE