Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
Palpites de Mãe
Educação

Está chegando a hora de ir para a escola

Processo requer atenção e diálogo de pais e professores
13/02/2018 20:21 13/02/2018 20:21


Internet/Reprodução
Criança tem que ficar segura de que pais voltarão para buscá-la
O começo do ano letivo representa novidade para muitas crianças, principalmente as que entram na escola pela primeira vez. Para essas, pode ser doloroso ter de se afastar dos familiares e do ambiente onde sempre viveram. Nas próximas semanas, esta será a realidade de centenas de crianças. Com o início das aulas nas Escolas Municipais de Ensino Infantil (EMEIs) no dia 8 de fevereiro, o período de adaptação requer atenção e dedicação de pais e professores.

Diálogo é importante

Quanto aos pais, a pedagoga Cídia Silveira orienta que acompanhem de perto o processo de adaptação e mantenham-se parceiros da escola; conversem com os professores; conversem com os filhos; conversem com a escola. O constante diálogo entre as partes envolvidas é parte importante no processo de adaptação dos alunos à nova realidade.

Nada de ameaças

Atitudes que não devem acontecer envolvem ameaçar a criança, dizer que não voltam para buscá-la na escola, dar castigo físico. É importante ir buscar a criança no horário correto, para ela se sentir segura: “Os pais também devem receber os filhos com alegria ao final do turno escolar e se interessar verdadeiramente pelo progresso da criança nas relações cotidianas; tudo isso fortalece o vínculo e estimula o aluno a querer ir para a escola”, diz a pedagoga Cídia.

É hora de dar tchau

Atitudes que não devem acontecer envolvem ameaçar a criança, dizer que não voltam para buscá-la na escola, dar castigo físico. É importante ir buscar a criança no horário correto, para ela se sentir segura: “Os pais também devem receber os filhos com alegria ao final do turno escolar e se interessar verdadeiramente pelo progresso da criança nas relações cotidianas; tudo isso fortalece o vínculo e estimula o aluno a querer ir para a escola”, completa Cídia.

Escolha da escola deve ser criteriosa

Para que a família possa ficar tranquila com seus pequenos na escola, a escolha precisa ser criteriosa. A pedagoga, professora da Ulbra e mãe, Lauraci Silva, afirma que colher informações é o primeiro passo. “Busque na Internet, na escola e com pais que tenham filhos naquele ambiente, saber qual a filosofia e proposta pedagógica. Além disso, quais são os valores que a escola tem, já que é na primeira infância que se constrói o caráter e a personalidade dos pequenos.”

A visita ao espaço deve ser o segundo passo no processo de escolha. “Ao entrar na escola, o olhar deve ser criterioso. É preciso se atentar a limpeza, desde a entrada. Se oferece alimentação, uma visita na cozinha também é fundamental”, lembra.

Acompanhamento é fundamental

Lauraci explica que após escolher a instituição de ensino, os pais precisam participar de todo o processo de educação dos filhos. “Se mostrar interessado nas atividades da criança é fundamental para que ela se sinta acolhida.”

Ela lembra que ir nas reuniões, ler agendas e conversar periodicamente com os professores faz parte da rotina de quem tem filhos em idade escolar. “A escola tenta fazer o melhor, mas não podemos nunca esquecer que o filho é nosso. Precisamos sempre estar atentos a tudo e sermos participativos, para não criar traumas nas crianças.”


Correio de Gravataí

Palpites de Mãe

por Paloma Vargas
paloma.vargas@gruposinos.com.br

Paloma Vargas é repórter dos jornais Correio de Gravataí e Diário de Cachoeirinha. Nessa nova fase de sua vida, em que espera a chegada do André, ela dividirá a experiência de ser mãe de primeira viagem neste blog, e também quinzenalmente nas páginas impressas de CG e DCA.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE