Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Lomba Grande

Outra desova de corpo é investigada no caso dos irmãos esquartejados

Acusado de encomendar ritual e filho foragido foram primeiros a ver corpo a 15 metros de onde apareceram restos mortais das crianças
12/01/2018 07:33 12/01/2018 07:34

Adriana Lima/GES-Especial
Jair dos Porcos e o filho encontraram o corpo em matagal de Lomba Grande
A Polícia recebeu nesta quinta-feira (11) nova informação sobre desova de corpo nas imediações de onde foram encontradas as partes das crianças esquartejadas. E considera estranho que também tenha relação com o acusado de ser o encomendador do ritual satânico, Jair da Silva, o Jair dos Porcos, 47 anos. Uma testemunha será ouvida hoje e outra deve prestar depoimento nos próximos dias.

No fim da tarde de 9 de dezembro, apareceu o corpo de um homem, com cadarço enrolado no pescoço, em matagal na Estrada Porto das Tranqueiras, em Lomba Grande. E quem avisou à Polícia, conforme as testemunhas, foi Jair dos Porcos e o filho dele, Anderson da Silva, 23, que está foragido. “Vi as pernas e pensei que era um boneco. Depois vi a cabeça e saí correndo”, declarou o jovem aos policiais.

Os investigadores querem saber o que os dois faziam naquele local, no meio do mato. Era a aproximadamente 15 metros do ponto onde foram localizadas as partes das crianças em 4 de setembro – em 18 de setembro, 300 metros adiante, apareceram outros pedaços. Pai e filho moram perto, em um sítio, onde teria ocorrido uma fase do ritual satânico, antes do desfecho no templo do bruxo em Gravataí.

Carro

O corpo era do morador de Parobé Alcides Vitorino da Silva, 68, que teria ido a Novo Hamburgo para negociar um carro. Uma das atividades de Jair dos Porcos é a negociação de veículos, tanto que na frente da casa dele há vários estacionados, mas a Polícia não encontrou indícios contra ele no homicídio de Alcides.


Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE