Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Itália

Romântica Verona

Lembrada principalmente como cenário da história de Romeu e Julieta, cidade histórica tem muitos atrativos
10/12/2017 07:30

Casas de Verona

Stephany Sander
ssa_rad@gruposinos.com.br

Não é toa que William Shakespeare escolheu Verona para ser o cenário de uma de suas obras mais célebres. A cidade italiana, localizada a cerca de duas horas de Milão, transborda romantismo, e nos faz viajar para a dentro da história de Romeu e Julieta, em meio a paisagens rodeadas de castelos e palácios, como os da Idade Média. Para conhecer a pequena cidade, famosa também por suas casas e comércios coloridos, e que conta com pouco mais de 260 mil habitantes, basta uma caminhada pela região central, passando pelos principais pontos turísticos. Abraçada pelas águas verdes do rio Ádige, Verona conta com diversos arcos e uma espécie de muro que a protege, lembrando aos turistas a história por trás de suas construções romanas, ligadas a movimentações militares.


Ponte Pietra
É a última das passagens romanas construídas sobre o rio que ainda está de pé. A travessia tem duas cores, vermelho e branco, sendo a parte branca, de mármore da época romana e a vermelha de tijolos, fiéis aos originais, utilizados na sua reconstrução. A ponte também é formada por cinco arcos. O primeiro, na parte direita do rio Adige, foi reconstruída em 1298. Quatro deles foram destruídos em 1945, durante a guerra e reconstruídos com as pedras recuperadas no rio, trabalho este que terminou somente em 1959. A ponte, com 95 metros de comprimento, é uma das principais vias de acesso ao centro histórico da cidade.


Arena de Verona
Construída no começo do século I d.C., a Arena foi erguida cerca de meio século antes do Coliseu, em Roma, com capacidade na época para quase 30 mil pessoas. O anfiteatro deve-se, sobretudo, ao imperador Gallieno que, em 265 d.C., incluiu-o nas muralhas da cidade, protegendo-o das invasões bárbaras.


Casa de Julieta
Diversas placas pelo centro da cidade indicam o caminho para a famosa Casa de Julieta. Não se sabe ao certo se de fato a personagem viveu no local, mas as homenagens a ela estão por toda a parte. Paredes assinadas por pessoas de todos os cantos do mundo com juras de amor colorem a construção, e, ao fundo do jardim, a estátua de bronze da personagem de Shakespeare aguarda os turistas. Fazer uma foto encostando nos seios da donzela, traz sorte, segundo a lenda local.


Castelvecchio
Construído pela família Scaligera em 1354, o Castelo Velho foi erguido para ser uma fortaleza, utilizada por viscondes, e que acabou sendo ocupado pelos franceses na época da invasão napoleônica. Somente em 1924 que o Castelvecchio deixou de ser militar e passou a ser sede do Museu Cívico de Verona.



A torre dei Lamberti

Construída com tufo, mármore e tijolos, a torre de 84 metros é famosa pelos seus dois sinos: o Rengo e a Marangona. O primeiro servia de alerta nos casos de incêndio, o segundo convocava os cidadãos à luta.


Porta Borsari
Localizado entre o Castelvecchio e a Arena, o portão romano mais antigo da cidade está em meio a modernos prédios e casas. E marca a entrada principal da cidade em tempos romanos.


  • Cidade é abraçada pelo rio Ádige
    Foto: Stephany Sander/Especial
  • Castelvecchio
    Foto: Stephany Sander/Especial
  • Ponte Pietra
    Foto: Stephany Sander/Especial
  • Casa de Julieta
    Foto: Stephany Sander/Especial
  • Arena de Verona
    Foto: Stephany Sander/Especial


Correio de Gravataí
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE