Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

PUBLICIDADE
Celebração da vida

Arthur celebra a alta comendo pizza

Menino vítima de bala perdida no Ano Novo realizou desejo ontem ao lado da família

Katterina Zandonai/GES-Especial
Para o pequeno herói, pizza de comemoração
Uma semana depois de ter recebido alta do hospital, o menino Arthur Pospichil, 5 anos, realizou uma vontade que o acompanhou nos cerca de 40 dias de internação: comer pizza. A criança foi vítima de bala perdida no feriado de Ano Novo, em Gravataí. Atingido na cabeça e com o projétil ainda alojado, ele trava batalhas diárias.

Segundo o seu pai, Oséias Pospichil, Arthur está surpreendendo a todos com sua evolução. “Para quem não falaria e nem andaria mais, ele está muito bem. Consegue se comunicar e dar passos sozinhos, ainda se segurando em objetos. Estamos muito confiantes.” Em sua estadia nos hospitais de Pronto Socorro de Porto Alegre e no da Criança Santo Antônio, também na capital, o menino teria pedido diversas vezes um dos seus pratos preferidos, a pizza.

Sabendo disso, por uma matéria deste jornal, a administração da pizzaria Cia. do Sabor, da parada 79, em Gravataí, ofereceu cortesia de rodízio para a família. “Eu adoro comer pizza doce”, comenta o menino ao lado dos pais e do boneco do super-homem.”Falante e muito brincalhão, Arthur não recusou nem a pizza de brócolis. “Está uma delícia”, elogia o pequeno.

Próximos passos da reabilitação

Katterina Zandonai/GES-Especial
Felicidade de Arthur ao lado dos pais na pizzaria ontem
Na próxima quarta-feira, 15, Arthur fará sua primeira consulta para continuar sua reabilitação. Os médicos decidiram por não retirar a bala do seu cérebro, já que segundo o pai, o trauma seria ainda maior. Para minimizar ou até mesmo sanar as sequelas do trauma, ele fará sessões de fisioterapia. “Ele é perfeccionista, se desafia, por isso acreditamos que tudo dará certo”, conta Oséias.

Por enquanto, o menino tem se exercitado da maneira que mais gosta, brincando e se divertindo com os primos e amigos. “O que mais gosto de fazer é brincar”, frisa o garoto.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS